Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə145/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   141   142   143   144   145   146   147   148   ...   201

LUÃ KRAMER DE OLIVEIRA


Resumo: O movimento estudantil é um movimento social atuante na sociedade, principalmente na busca de transformá-la. Durante o último século, a participação estudantil foi de fato relevante, se não a principal atora, como nas grandes mobilizações do ano 1968, e provocou mudanças, de maior e menor escala, na política, economia, cultura, entre outros. Essa característica contestadora do movimento estudantil faz com que estes façam críticas não só ao espaço escolar/universitário, sobretudo á toda sociedade, que deste modo perpassa pela dimensão ambiental. Nestes casos, da luta socioambiental, o movimento estudantil aproxima-se de outro movimento social, o movimento ecologista, movimento este responsável por parte significativa do que é a Educação Ambiental no Brasil e no mundo. São nessas redes de contestação, luta e organização socioambiental nas quais avizinham-se a Educação Ambiental (EA) o e Movimento Estudantil (ME). O objetivo desta pesquisa foi perceber a relação existente entre a Educação Ambiental e o Movimento Estudantil. Foi realizada a pesquisa bibliográfica de dois documentos, os Princípios da Educação Ambiental para as Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global de 1992 e a Carta de Princípios da Entidade Nacional de Estudantes de Biologia-ENEBio de 2007. Observou-se a proximidade entre os documentos, relacionadas a 11 (onze) temas, entre elas: educação transformadora e direito de todos, formação de consciência holística, respeito a povos e nações, posicionamento político, valorização de diferentes formas de conhecimento, respeito à vida, tratamento crítico das questões ambientais, entre outros. Cada documento possui sua finalidade específica, deste modo em alguns aspectos de cada documento não houve proximidade temática. Em cada tema destacado foi possível observar quais as dimensões convergentes entre a Educação Ambiental e o Movimento Estudantil. Esta pesquisa é inicial e apresenta uma parcela de um amplo espectro de elementos da relação entre o ME e a EA. Recomenda-se na continuidade desta pesquisa a realização de métodos participativos, e no caso de pesquisas bibliográficas, que estas sejam ainda mais fundamentadas.

Palavras-chave: Movimento Estudantil; Educação Ambiental; Tratado; Carta de Princípios

Título: MUDANÇAS METABÓLICAS E COMPORTAMENTAIS EM SURUBIM COM EXPOSIÇÃO AGUDA A DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DO HERBICIDA GLIFOSATO.

Orientador: PAULA SUELI ANDRADE MOREIRA

Autor(es):

PAULO RAFAEL MOELLER


Resumo: O glifosato (N-phosphomethyl-glicina) é um herbicida pós-emergente amplamente utilizado em vários tipos de culturas, numerosas formulações comerciais contendo glifosato como o ingrediente ativo tornaram-se populares, dentre elas o Roundup ®. Estudos prévios indicam que nas condições atuais e previstas de uso, o herbicida Roundup ® não representa um risco para a saúde de seres humanos, embora, alguns dados parecem mostrar que os organismos aquáticos, particularmente peixes, poderiam ser mais sensíveis ao glifosato do que os mamíferos. Com isso, o objetivo do trabalho consistiu em avaliar o efeito de Roundup ® em diferentes concentrações (0, 3, 6, 10, 20 mg L-1) por 96h, sobre parâmetros metabólicos e comportamentais do peixe híbrido surubim ( Pseudoplatystoma sp). Vários parâmetros metabólicos plamáticos, tais como glicogênio (fígado e músculo), glicose, lactato e proteínas (plasma, fígado e músculo) colesterol (plasma), enzimas alanina aminotransferase (ALT) e aspartato aminotransferase (AST) foram analisadas. Para avaliação do comportamento foram observados freqüência ventilatória (FV) e atividade de natação ou de locomoção (SA) em dois momentos, 5 minutos e 96 horas após a exposição ao glifosato. Os resultados mostraram que surubins expostos ao glifosato exibiram diminuição dos níveis de glicose no plasma, e um aumento no fígado em comparação com o grupo controle. Os níveis de lactato aumentaram no plasma e no fígado, mas no músculo, os níveis de lactato diminuíram. Além disso, os níveis de proteína diminuíram no plasma e no músculo do surubim, mas o fígado teve um aumento nos níveis de proteína em relação ao controle. Após a exposição ao herbicida, os níveis de glicogênio do fígado e do músculo foram diminuídos. Neste estudo, os níveis de colesterol no plasma diminuíram em todas as concentrações testadas. A exposição dos surubins ao glifosato promoveu um aumento significativo na ALT no plasma mas AST não foram alteradas. A FV foi aumentada para peixes expostos ao glifosato 5 min após a exposição, e estes valores diminuíram 96h após a exposição ao glifosato. SA ou locomoção mostrou diferenças entre todos os grupos (após 5 min), e após 96h apenas a concentração 10 mg L-1 foi alterada. Todos os peixes expostos a concentração de 20 mg L-1 morreram após 12h do início da experiência. Em conjunto, estes resultados demonstraram que a exposição ao glifosato prejudica a saúde dos peixes, promovendo mudanças que podem afetar a sobrevivência dos animais em seu ambiente natural. Sugere-se que os parâmetros bioquímicos e comportamentais determinados neste estudo podem ser usados como biomarcadores potenciais para o monitoramento de herbicidas residuais presentes em ambientes aquáticos.

Palavras-chave: Herbicida, parâmetros metabólicos, glifosato, surubim

Título: MULHERES NOS LIVROS PARADIDÁTICOS DE HISTÓRIA DE MATO GROSSO

Orientador: ANA MARIA MARQUES

Autor(es):

JERUSA DORING VOLFF


Resumo: O objetivo principal da pesquisa (registro 122/CAP/2011) a qual se vincula este trabalho era estudar um conjunto de livros didáticos de Elizabeth Madureira Siqueira e outros de História de Mato Grosso, bem como seus usos sob a perspectiva da análise de gênero.

Olhando com maior atenção as práticas do cotidiano histórico inscrita nos livros, aqui entendidos como paradidáticos, percebemos o que está implícito e o silenciamento em determinados acontecimentos, de identificação nacional em que os agentes femininos são sombras em meio aos fatos narrados nos livros. É importante perceber que as práticas de ensino de história não são construções naturais ou fixas, mas as divisões de raça, classe, etnia, sexualidade e gênero estão presentes, mesmo quando não claramente.

Compreendendo a história dessas diferenças, podemos encontrar explicações para afirmar que no período em que foi escrito cada livro pesquisado aqui, os/as autores/as sofreram interferência de seu tempo, e estas confirmam, atravessam e produzem diferenças. Assim as diferentes instituições e práticas sociais são constituídas ou construídas e “fabricam” os sujeitos históricos, tanto quanto são elas próprias que produzem representações étnicas, sexuais, de classe e gênero (BUTLER, 2003).

Neste trabalho almejamos identificar e compreender as menções de vultos femininos em livros paradidáticos de história de Mato Grosso. Segundo a definição do Dicionário Aurélio (2005) paradidático é qualquer material que complementam o ensino didático.

Esta pesquisa toma como objeto empírico cinco livros paradidático, considerados assim pelo seu fácil entendimento e de informação acessível. São estes: “História de Mato Grosso”, de Rubens de Mendonça (1970); “História de Mato Grosso”, de Lenine C. Póvoas (1985); “O Processo Histórico de Mato Grosso” e “História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais”, de Elizabeth Madureira Siqueira (respectivamente, 1990 e 2002); e “Mato Grosso e sua história”, de Else Cavalcante (1999). Para empreender tal trabalho de investigação acerca da história de Mato Grosso elenquei autores que estivessem ligados ao ensino de história ou estudiosos do tema, entre os autores, homens e mulheres de diferentes períodos históricos e diferentes influências historiográficas.

A idéia central está na demonstração de que as estruturas narrativas engendram configurações ideológicas do pensamento hegemônico. O enfoque centra-se na construção das narrativas sobre mulheres, levantando como exemplos personagens que foram consideradas importantes no contexto regional, como negras rainhas de quilombos, mulheres que lutaram na guerra do Paraguai e/ou tiveram alguma participação política importante. Analisam-se essas narrativas sobre mulheres e ainda o esquecimento social da participação feminina na história regional e do país. É importante frisar que toda esta temática tem sido objeto de pesquisa de autores/as que procuram “iluminar” os espaços vazios na história.


Palavras-chave: Mulheres, paradidático, personagens históricos

Título: NEGROS ESCRAVOS E LIBERTOS NA VISÃO DE FRANCIS DE CASTELNAU

Orientador: MARIA DE FÁTIMA COSTA

Autor(es):


1   ...   141   142   143   144   145   146   147   148   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə