Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə158/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   154   155   156   157   158   159   160   161   ...   201

RAYANE PINHO BEZERRA


Resumo: A região amazônica é portadora da maior floresta tropical do mundo, a floresta amazônica e dos pouco mais de seis milhões de quilômetros quadrados que se estima ser hoje a área total da floresta amazônica na América do Sul, menos que 60% estão em território brasileiro. E apesar da sua grande importância como sequestradora de carbono da atmosfera vem sofrendo inúmeras agressões, entre elas queimadas e desmatamentos. Com essas agressões se perde fauna e flora, e espécies de plantas e animais ainda nem conhecidas ou estudadas pelo homem são extintas. Por esse motivo o estudo sobre a diversidade de insetos, caracterização de espécies conhecidas ou a descrição de novas espécies existentes na floresta Amazônica é de suma importância, sabendo que os insetos apresentam funções variadas na natureza, algumas espécies atuam como pragas agrícolas ou florestais e outras podem ainda serem utilizadas como controle biológico. A captura de insetos com uso da armadilha luminosa tem como objetivo principal a identificação de novas espécies dentre as várias ordens de insetos, como também a descrição da grande diversidade existente nos fragmentos de floresta Amazônica estudados. O foco do presente estudo foi nas ordens Coleoptera e Heteroptera, com coletas em sazonalidades diferentes, durante o período chuvoso e de seca. O objetivo deste trabalho foi coletar insetos com o uso de armadilhas luminosas para avaliar a diversidade dos mesmos em três fragmentos de florestas localizadas na Amazônia Meridional, os módulos experimentais do PPBio, onde 3 estão localizados na fazenda Continental, no município de Cláudia-MT(11°34'54.0"S; 055°17'15.6"W). E o módulo 4, localizado em Cotriguaçu-MT (58°19’37,69”S; 9°47’51,32”W). Os módulos 1, 2 e 4 são compostos por 12 parcelas cada, o módulo 4 possui 8 parcelas. Cada parcela recebeu duas armadilhas luminosas, montadas com distância de 50m entre si, e permaneceram ligadas por duas noites consecutivas. O material coletado foi colocado em potes com álcool 70% e levado ao laboratório de Entomologia da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), campus de Sinop, para triagem e classificação. Os insetos de maior tamanho foram acondicionados em mantas com algodão e naftalina, sendo armazenados após secagem em estufa. Os resultados parciais da triagem são os seguintes, das coletas do módulo 4, localizado em Cotriguaçu, foram triados 159 insetos da ordem Hemiptera-heteroptera, módulo 2 foram triados 81 insetos, todos se encontravam armazenados nas mantas, coletas do período de chuva. Para o módulo 1, a triagem foi realizada nos insetos armazenados em álcool e nas mantas, coletas do período chuvoso, foram coletados 416 percevejos. Foram triados coleópteros do Módulo 3, que estavam armazenados em álcool, coletas do período de chuva, que totalizaram 1146 insetos. Alguns indivíduos foram enviados para identificação á nível de espécie e ainda não obtivemos o resultado. Com a coleta de insetos e triagem em laboratório é possível se ter uma ideia da grande diversidade existente apenas em um pequeno fragmento de floresta.

Palavras-chave: Armadilha luminosa; Heteroptera

Título: PADRÕES DE DISTRIBUIÇÃO LOCAL E REGIONAL DA BIODIVERSIDADE NA AMAZÔNIA MERIDIONAL E A INTEGRAÇÃO DAS INFORMAÇÕES PARA SUBSIDIAR PLANOS DE MANEJO E CONSERVAÇÃO E O USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS, COM ÊNFASE EM HEMIPTERA: CERCOPIDAE.

Orientador: MARLITON ROCHA BARRETO

Autor(es):

JULIELEN MIRAS PORFIRO FLORENTINO


Resumo: A região meridional da parte brasileira da Amazônia sofre com o compasso acelerado de destruição. Agricultura e pecuária intensiva, a falta de ordenamento territorial, a monocultura de certas espécies e a introdução de espécies exóticas para cultivo são alguns dos fatores que afetam a biodiversidade da Amazônia. As populações de insetos também sofrem desequilíbrios, tornando-se necessário seu estudo. Neste sentido, o projeto “Padrões de distribuição local e regional da biodiversidade na Amazônia meridional e a integração das informações para subsidiar planos de manejo e conservação e o uso sustentável dos recursos naturais” objetivou coletar dados entomológicos através de armadilhas luminosas em parcelas permanentes da Amazônia meridional. Foram realizadas coletas através de armadilhas luminosas adaptadas do modelo “Luiz de Queiroz” (usando uma lâmpada fluorescente branca – 20 W, ligada à bateria), no período de Fevereiro de 2011 à Janeiro de 2012, na Fazenda Continental localizada no município de Claudia, no qual estão instalados os módulos amostrais I (11°34'54.0"S 55°17'15.6" W) e II (11°24'38.8"S 55°19'29.2"W) compostos por seis trilhas no sentido Norte-Sul (1 km cada) e duas trilhas no sentido Leste-Oeste (5 km). Ao longo das trilhas de 5 km, a cada quilômetro há uma parcela permanente de 250 metros de extensão que resultam em 12 parcelas em cada um dos módulos. O material coletado encontra-se armazenado em potes com álcool 70% no laboratório de Entomologia da Universidade Federal de Mato Grosso, campus universitário de Sinop. Foram realizadas triagens de 96 amostras da ordem Hemiptera da família Cercopidae, sendo que 48 destas competem a dados obtidos no Módulo I e totalizam 1.573 indivíduos, e as outras 48 amostras referem-se ao Módulo II e totalizam 10.331 indivíduos. Parte deste material foi enviado para identificação e no momento aguarda retorno.

Palavras-chave: Amazônia meridional, Armadilha luminosa, Cigarras, Parcelas permanentes

Título: PADRÕES DE DISTRIBUIÇÃO LOCAL E REGIONAL DA BIODIVERSIDADE NA AMAZÔNIA MERIDIONAL E A INTEGRAÇÃO DAS INFORMAÇÕES PARA SUBSIDIAR PLANOS DE MANEJO E CONSERVAÇÃO E O USO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS NATURAIS.

Orientador: VIVIANE MARIA GUEDES LAYME

Autor(es):

GRAZIELLE HERNANDES BARROS LEITE


Resumo: Um dos fatores de suma importância à preservação da Amazônia Meridional é o conhecimento sobre os padrões de distribuição local e regional. Estas informações se tornam fundamentais para a elaboração de planos de manejo e conservação, visando o uso sustentável dos recursos naturais do mesmo. Os pequenos mamíferos não voadores estão entre os grupos taxonômicos para os quais tais informações são bastante escassas. Este trabalho teve como objetivo geral descrever a estrutura da comunidade de pequenos mamíferos não-voadores em uma região da Amazônia do Norte de Mato Grosso. O material analisado foi coletado a partir do projeto COBIO/PPBIO em uma área no município de Cláudia – MT, usando o método de coleta RAPELD em dois módulos de 5 x 2km, os quais estão 20 km de distância entre si. As áreas onde foram instalados esses módulos RAPELD, foram sujeitas a corte seletivo ao longo de diferentes períodos. No módulo 2 o manejo se encerrou há mais tempo do que no módulo 1 (15 e 8 anos respectivamente). Neste método, parcelas de 250m de comprimento são distribuídas sistematicamente a cada 1 km. Em cada parcela, a amostragem de pequenos mamíferos foi realizada usando 5 armadilhas do tipo gaiola, 10 armadilhas do tipo Sherman e 4 armadilhas de interceptação e queda. Todas as armadilhas permaneceram ativadas por 10 dias consecutivos, sendo vistoriadas todas as manhãs entre julho e agosto de 2010. No total foram encontradas 12 espécies, sendo elas sete de roedores e cinco de marsupiais, dentre essas, sete espécies foram comuns entre os dois módulos. No entanto o Módulo 1 obteve 3 espécies exclusivas enquanto o Módulo 2 somente duas. O módulo 2 apresentou uma abundância quatro vezes maior do que o módulo 1 devido principalmente ao grande número de marsupiais coletados, além de uma maior riqueza. A biomassa média dos indivíduos capturados por parcela também variou entre os módulos, sendo aproximadamente oito vezes maior no segundo módulo, devido à alta captura de espécies com porte grande. É possível que o manejo florestal tenha afetado comunidades de pequenos mamíferos ao longo do tempo. Assim, as diferenças na estrutura da comunidade entre as diferentes localidades pode ser um reflexo do tempo de manejo, uma vez que no segundo módulo a vegetação e a fauna tiveram um maior tempo de recuperação.

Palavras-chave: Palavras - chave: Mastofauna; roedores; marsupiais; RAPELD.

Título: PADRÕES ULTRASSONOGRÁFICOS HEPÁTICOS DE BOVINOS INTOXICADOS EXPERIMENTALMENTE POR PTEDORON EMARGINATUS (FABACEAE)

Orientador: PEDRO EDUARDO BRANDINI NÉSPOLI



Autor(es):
1   ...   154   155   156   157   158   159   160   161   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə