Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə169/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   165   166   167   168   169   170   171   172   ...   201

ANA CAROLINA PIRES DE ARAUJO


Resumo: A Brucella canis é considerada uma zoonose de importância pública que acomete o homem e os animais. Leva a grandes perdas reprodutivas quando ocorre em canis, já que os canídeos domésticos são um dos animais mais susceptíveis. A transmissão se da por contato direto e indireto com os fluidos vaginais, urina e com o próprio animal. Tendo em vista o estreito convívio entre os cães e o homem este estudo teve como objetivo investigar a ocorrência da brucelose causada por Brucella canis em cães no município de Cuiabá, MT, e os possíveis fatores de risco associados. Foram analisadas 327 amostras com base numa amostragem aleatória simples dos bairros que abrangem o perímetro urbano e peri-urbano do município de Cuiabá. Foram escolhidos 4 bairros , sendo um por regional. A ocorrência da B. canis foi de 24,1%. A análise estatística dos sinais clínicos demonstrou associação de conjuntivite e ceratite com a positividade por B. canis. Os resultados obtidos neste trabalho demonstraram a ocorrência da B. canis no município e sugerem novas pesquisas e monitoramento, além de propor, como diagnóstico para B. canis a utilização da técnica de PCR por apresentar maior rapidez e sensibilidade como diagnóstico molecular.

Palavras-chave: Canis familiaris, Brucelose, Zoonose

Título: PREVALÊNCIA DE POLIMORFISMO EM PROMOTOR DO GENE DA MATRIZ METALOPROTEINASE 9 (-1562C>T) EM UMA POPULAÇÃO DE MATO GROSSO E SUA ASSOCIAÇÃO COM CÂNCER COLORRETAL

Orientador: BIANCA BORSATTO GALERA

Autor(es):

MARIANA REGINALDO SILVA


Resumo: As metaloproteinases (MMP) são uma família de enzimas dependentes de Zn2+, produzidas por monócitos, células endoteliais e células musculares lisas, com atividade proteolítica de endopeptidase, que degradam diversas proteínas associadas e não associadas à matriz extracelular. A MMP-9, também conhecida por gelatinase B ou colagenase do tipo IV de 92 kDa tem o gene mapeado em 20q12.2-13.1. Variações na seqüência promotora deste gene podem levar a diferenças na expressão de MMP-9, aumentando o risco de metástase linfonodal em câncer colorretal (CCR). Um polimorfismo comum é a troca de C por T na posição -1562 (-1562C>T). Estudo in vitro sugeriu que o polimorfismo está contido em uma região de ligação de uma proteína repressora resultando em maior atividade da região promotora. Dessa forma, pode se presumir que o aumento da expressão de MMP-9 associada ao alelo T poderia contribuir para a atividade proteolítica das MMPs. O presente trabalho teve como objetivo identificar as frequências de -1562C>T MMP9 em indivíduos com CCR. Foi realizado um estudo genético e epidemiológico descritivo, aprovado por comitê de ética local. Fizeram parte do estudo, indivíduos diagnosticados com CCR (todas as idades) que demandaram de serviços de referência (de oncologia ou clínica médica) em Cuiabá. Os pacientes foram submetidos a uma entrevista padronizada para coleta de variáveis de interesse: gênero, idade, história familiar de CCR, história familiar de outros cânceres, tabagismo, alcoolismo, atividade física, dados referentes à doença ao diagnóstico: estadio clínico e localização das metástases; dados sobre o tumor. Todos os indivíduos tiveram amostras de sangue periférico coletadas para extração de DNA pela técnica salting out. Foram realizadas reações em cadeia da polimerase (PCRs) utilizando-se pares de primers e condições específicas de reação para amplificação dos fragmentos específicos para o polimorfismo -1562C>T do gene MMP-9. Os fragmentos amplificados foram submetidos a digestão enzimática (Restriction Fragment Lenght Polymorphism – RFLP) e o resultado observado em gel de agarose 2,0-4,0% corado em 0,0004% de brometo de etídio, em transiluminador ultravioleta. Foram genotipados 195, ambos os sexos, média de idade de 57 anos (+- 13 DP), onde se observou 113 (57,9%) CC homozigotos, 45 (23,1%) CT heterozigotos e 37 (19%) TT homozigotos. Estes resultados se assemelham as frequências da literatura observadas em populações de outros países.

Palavras-chave: Polimorfismo, Metaloproteinase 9, Câncer colorretal

Título: PREVALÊNCIA DE POLIMORFISMOS NO GENE DA MATRIZ METALOPROTEINASE 9 EM UMA POPULAÇÃO DE MATO GROSSO E SUA ASSOCIAÇÃO COM CÂNCER COLORRETAL

Orientador: BIANCA BORSATTO GALERA

Autor(es):

RICARDO VILELA MEDEIROS


Resumo: O câncer colorretal (CCR) é uma doença multifatorial complexa na qual há a interação entre fatores genéticos e ambientais. No mundo, é a terceira neoplasia maligna mais frequente em homens e a segunda em mulheres. Cerca de 85% dos casos são esporádicos. Mutações em diferentes genes estão envolvidas com a etiopatogenia do CCR. Polimorfismos em genes responsáveis pela síntese de proteínas com atividade proteolítica que degradam a membrana basal e a matriz extracelular desempenham papel fundamental na progressão tumoral e disseminação de metástases. A Metaloproteinase da Matriz-9 (MMP-9) também conhecida como gelatinase B ou colagenase do tipo IV tem seu gene mapeado em 20q12.2-13.1 e possui atividade particular na degradação de gelatinas (colágeno desnaturado) da matriz extracelular. Variações na seqüência codificadora de seu gene podem levar a diferenças na expressão de MMP-9, aumentando o risco de metástase linfonodal. Um polimorfismo comum é o 279R>Q, localizado no domínio catalítico do gene MMP-9, que leva a substituição de um aminoácido arginina por glutamina. Estudos acerca deste polimorfismos e CCR em MT são escassos. O objetivo do trabalho foi estimar as prevalências do polimorfismo 279R>Q do gene MMP-9 em amostras de indivíduos com CCR. Foi realizado um estudo genético e epidemiológico descritivo, onde fizeram parte da amostra indivíduos diagnosticados com CCR (todas as idades) que demandaram de serviços de referência (de oncologia ou clínica médica) em Cuiabá – MT. Os participantes que concordaram em fazer parte do estudo assinaram inicialmente o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UNIC. Além disso, foram submetidos a uma entrevista padronizada para coleta de variáveis de interesse: gênero, idade, história familiar de câncer colorretal, história familiar de outros cânceres, tabagismo, alcoolismo e atividade física. Foram, ainda, coletados dados relativos ao diagnóstico e evolução atual da doença. Amostras de sangue periférico foram coletadas para extração de DNA, o qual foi submetido à técnica de PCR-RFLP para identificação do polimorfismo 279R>Q. Foram genotipados 224 pacientes, de ambos os sexos, sendo a média de idade de 56,18 anos (+12,86 DP). Foi observado que 147 pacientes (65,6%) eram homozigotos RR, 31 (13,8%) heterozigotos RQ e 15 (6,7%) homozigotos QQ. O presente trabalho apresentou resultados preliminares sobre a frequência genotípica do polimorfismo 279R>Q no gene MMP-9 dos pacientes com CCR. A partir desses dados esperamos contribuir para a melhor compreensão acerca dos mecanismos etiopatogênicos dessa doença, bem como ampliar os estudos nessa área.

Palavras-chave: Câncer Colorretal; Polimorfismo; Metaloproteinase

Título: PREVALÊNCIA DE TRANSTORNOS MENTAIS MENORES EM ACADÊMICOS DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO ASSOCIADO A FATORES SOCIOECONÔMICOS E PROCURA DOS DISCENTES POR AUXÍLIO E ACOMPANHAMENTO DA UNIVERSIDADE.

Orientador: BIANCA BORSATTO GALERA

Autor(es):

1   ...   165   166   167   168   169   170   171   172   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə