Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə18/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   201

ALESSANDRA CARREIRA RODRIGUES


Resumo: Segundo o Ministério da Saúde (MS), a mortalidade materna é uma das mais graves violações dos direitos humanos das mulheres, por ser uma tragédia evitável em 92% dos casos e ocorre principalmente nos países em desenvolvimento. A RMM de Cuiabá é uma das mais elevadas no Brasil. Este estudo teve como objetivo analisar a assistência pré-natal oferecida às mulheres que foram a óbito materno em Cuiabá/MT no período de 2008 a 2010, tendo como referência as recomendações técnicas do MS, considerando as características sócio-demográficas e clínico-obstétricas das mesmas. Trata-se de um estudo do tipo transversal, exploratório e descritivo, de abordagem quantitativa. A fonte de dados foram as fichas de investigação do Comitê Municipal de Mortalidade Materna e Infantil de Cuiabá. A população estudada compreendeu todos que foram classificados como óbito materno no município de Cuiabá/MT. Foram registrados e analisados 14 óbitos. A RMM 76,6 em 2008, 36,2 em 2009 e 32,1 em 2010, mostrando uma tendência de queda dos óbitos nos anos estudados. O estudo mostrou que 57,2% das mortes maternas obstétricas foram por causa direta, sendo que 64,3% dos óbitos maternos (diretos e indiretos) eram provavelmente evitáveis. As características sócio-demográficas das mulheres se constituíram, em grande parte, de cor parda, sem companheiro (57,1%), com escolaridade de 8 a 11 anos de estudo (50%), sem plano de saúde (92,9%) usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS). A maior parte dos óbitos (57,2%) se deu em mulheres de baixo risco, ou seja, aquelas com menos de 4 gestações e sem mal passado obstétrico. Apenas 28,6% das gestantes tinha uma co-morbidade representando gestantes de maior risco. Uma das mortes ocorreu devido a não diagnostico oportuno de uma gravidez ectópica rota, apontando falhas técnicas e a falta de suporte. Dentre os 14 casos analisados, 71,4% das gestantes (10) tiveram acesso ao pré-natal, no entanto, 80% delas não iniciaram o pré-natal antes da 12ª semana, o número de consultas pré-natais foi inadequado em 30%, 70% não realizaram os exames laboratoriais no inicio da gestação, nenhuma das gestantes tiveram registros dos resultados dos exames indicados na 28-30 semana. Os resultados revelaram que persistem dificuldades como o de acesso aos procedimentos de saúde considerados básicos, de acesso aos serviços de maior complexidade e de urgência, falhas de natureza humana e técnica, revelando a necessidade de melhorar a assistência à saúde reprodutiva da rede SUS. Somado as dificuldades do sistema de saúde, o estudo revelou que, se soma a tudo isso, o contexto social desfavorável dessas gestantes, que dificultam não somente a compreensão da importância da adesão às ações ofertadas rotineiramente pelos serviços, mas do direito à assistência de saúde de forma justa e digna. Apesar dos óbitos terem ocorrido, em grande parte, no puerpério, sabe-se que muitas mortes poderiam ser evitadas se houvesse um acompanhamento pré-natal adequado, evidenciando a importância de qualificar mais a assistência pré-natal para evitar eventos tão indesejáveis como a morte materna.

Palavras-chave: Assistência pré-natal, Óbito materno

Título: ANÁLISE DA EXPRESSÃO DAS PROTEÍNAS ANEXINA A1 E P53 COMO POSSÍVEIS BIOMARCADORES DE CARCINOMA PULMONAR

Orientador: AMILCAR SABINO DAMAZO

Autor(es):

JULIANA EVANGELISTA PAIVA


Resumo: Este trabalho propôs o estudo da expressão das proteínas p53 e anexina A1 no câncer de pulmão. A identificação dessas proteínas como biomarcadores possibilitará a descoberta dessa patologia antes do rastreio por exame de imagem, pois pesquisas comprovam que estão alteradas antes do avanço da doença. Para o desenvolvimento deste trabalho, foram colhidas biópsias de 18 pacientes do Hospital Universitário Júlio Müller, Cuiabá-MT, não submetidos à quimioterapia e/ou radioterapia. As amostras foram analisadas morfologicamente (hematoxilina-eosina) e imunoistoquimicamente para as proteínas anexina A1 (anti-ANXA1) e p53 (anti-p53). Na morfologia encontrou-se: 3 adenocarcinomas, 7 carcinomas de células pequenas, 6 carcinomas epidermóides e 2 de carcinomas de células grandes. A imunoistoquímica demonstrou que a anexina A1 apresenta marcação semelhante nos carcinomas de células grandes e pequenas, comparado ao grupo controle. No adenocarcinoma e carcinoma epidermóide a expressão era menos intensa. Já a expressão da p53 mostrou-se mais intensa que o controle em carcinoma de células grandes e pequenas. Todavia, em adenocarcinoma e carcinoma epidermóide, apontou expressão menos marcante da p53 em relação ao tecido controle. Os dados demonstraram que a proteína p53 apresenta uma expressão variada dependendo do tipo de carcinoma presente. Os dados, no que tange a anexina A1, mostraram alterações significativas. Eles evidenciaram que a sua expressão não difere do tecido normal quando comparado ao câncer de células pequenas e células grandes, porém reduzido em adenocarcinoma e carcinoma epidermóide. Conclui-se que a proteína p53 tem alteração da expressão no câncer de pulmão, o que sugere um novo alvo para detecção através de métodos imunoistoquímicos. Já a análise de anexina A1 depende de mais estudos para validar sua sensibilidade e especificidade no diagnóstico precoce de carcinomas pulmonares.

Palavras-chave: biomarcadores, anexina A1, p53, câncer de pulmão

Título: ANÁLISE DA PALEODIETA, MICROVESTÍGIOS E MICRODESGASTE, DOS PRIMEIROS MASTODONTES COLETADOS NO ESTADO DO MATO GROSSO

Orientador: DRA. SILANE A. F. DA SILVA CAMINHA

Autor(es):


EDVALDO JOSÉ DE OLIVEIRA


Resumo: Mastodontes são ungulatos de grande porte que possuem como característica principal uma probócide muscular longa e flexível. Um representante desse grupo é o Haplomastodon waringi. Essa espécie é comumente encontrada no Quaternário do Brasil sendo que, foi registrada para os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Escassos são os estudos sobre paleodieta, microdesgaste e microvestígios utilizando-se de molares de mastodonte em todo o Brasil e no estado do Mato Grosso, tal trabalho é inédito. No estado de Mato Grosso foram recentemente encontrados dois registros fósseis de mastodontes, dois molares M3, bem conservados, um deles ainda com a mandíbula. O estudo desses exemplares fósseis foi realizado analisando microvestígios e o padrão de microdesgaste dentário seguindo a metodologia proposta em estudos prévios, que incluem a limpeza da superfície do esmalte, a confecção de réplicas de 0,16 mm² e o reconhecimento dos padrões de marcas no esmalte. Os padrões de microdesgastes reconhecidos foram: perfurações, arranhões, arranhões cruzados e perfurações irregulares. Todas as categorias de desgaste foram contabilizadas e distinguidas de acordo com o tamanho, através de um microscópio estereoscópio com 35x de magnificação. A análise de microvestígios apresentou resultados inconclusivos, sendo possível identificar componentes orgânicos como vaso condutor, fitoclastos e alguns esporomorfos, tal análise poderia inferir a última alimentação do animal em questão, porém, devido a quantidade incipiente de bioindicadores tal fato não pode ser concluído. Após a análise de microdesgaste realizamos a comparação dos valores médios do número total de perfurações e arranhões com um número considerável de ungulados atuais. Dessa forma, observamos o posicionamento de H. waringi de Alta Floresta (MT) ao conjunto de táxons considerados pastadores, enquanto as amostras das outras localidades posicionaram-se junto aos táxons de hábitos mistos. Devido a não similaridade com os hábitos das demais espécies analisadas entende-se que provavelmente o ambiente de Alta Floresta apresentasse um tipo de vegetação diferente dos outros locais amostrados (RJ, MG, PI e Córdoba).

Palavras-chave: Mastodonte, Mato grosso, Paleontologia

Título: ANÁLISE DA POBREZA MULTIDIMENSIONAL DO BRASIL EM 2009.

Orientador: ARTURO ALEJANDRO ZAVALA ZAVALA

Autor(es):

Resumo: Definir a pobreza como um fenômeno unidimensional referente à má distribuição de renda deixa de analisar todas as dimensões em que uma famílias possa estar insuficiente, insuficiência essa que pretende-se estimar para cada família no Brasil em 2009 com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios-Pnad, sendo que para realizar tal estimação cria-se um índice sintético que contempla as multidimensões da pobreza para cada família, analisando as desigualdades presentes em cada região, entre perfis de famílias, entre homens e mulheres, entre as famílias mais e menos pobres e entre os anos de 1993, 1998, 2003 e 2008. Depois de realizado as análises conclui-se que investimentos em escolaridade e habitação tendem a terem grandes influencias no bem-estar de uma família e que tais investimentos não precisam ser providos obrigatoriamente pelo estado e que podem ser feitos diretamente pela família.

Palavras-chave: Pobreza multidimensional, pobreza no Brasil, desigualdade brasileira.

Título: ANÁLISE DA SOBREVIDA DE CAMUNDONGOS PORTADORES DO CARCINOMA SUBCUTÂNEO DE EHRLICH E TRATADOS COM EXTRATOS ETANÓLICOS OBTIDOS DA SEMENTE DO JATOBÁ (HYMENAEA COURBARIL L.)

Orientador: LINDSEY CASTOLDI

Autor(es):

1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə