Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə184/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   180   181   182   183   184   185   186   187   ...   201

DENISE LEAL CORTES


Resumo: O desenvolvimento de técnicas que utilizam meios naturais para minimizar os impactos ambientais causados pelo processo industrial vem crescendo gradativamente. O tanino vegetal é um exemplo que vem mostrando resultados positivos no tratamento de água e efluentes, substituindo o sulfato de alumínio no processo de floculação, coagulação, clarificação e decantação dos líquidos. O ácido tânico (C76H52O46), também denominado de tanino, é uma designação atribuída a várias substâncias orgânicas amareladas muito difundidas no reino vegetal, que são ligeiramente solúveis em água, tem ponto de fusão em aproximadamente 218 ºC apresentam um sabor levemente adstringente e que, com sais férricos, provocam colorações negras e verdes. É um forte agente complexante de metais e proteínas, sendo o mesmo ideal para esta finalidade. O presente trabalho teve como objetivo sintetizar, e estudar o comportamento do ácido tânico com o ferro bivalente em pH 3,0, pH 5,0 e pH 8,0 no estado sólido. Foram realizadas sínteses do metal Fe(II) com o ácido tânico em 100mL de água destilada, após total solubilização, o pH foi ajustado com solução aquosa de NaOH 0,05 mol L-1, as amostras foram mantidas em banho-maria a 80°C até a baixa para precipitação dos compostos a serem analisados, a solução restante foi filtrada , o sólido retido no papel filtro foi levado à estufa a 50°C até secagem, posteriormente foram analisados a partir das técnicas de TG – DTA obtidas no equipamento DTG-60H da Shimadzu e espectroscopia de infravermelho (IR) obtidos no espectrofotômetro da PERKIN ELMER, modelo Spectrum 100, com capacidade de leitura de (4000 – 600 cm-1), com resolução de 4 cm-1, que forneceram dados sobre a desidratação e decomposição térmica dos compostos, sendo que para o ácido tânico esta ocorre em três etapas, entre 46-546 º C, com picos endotérmicos e exotérmicos correspondentes para as perdas de massa e fenômeno físico. Um evento característico do ácido tânico em atmosfera de ar é o pico exotérmico a 199 º C seguido por um pico endotérmico a 204 um º C. O pico endotérmico observado em 204 º C é devido ao ponto de fusão do ácido tânico. Os espectros de IR apresentaram dados que permitiram identificar uma coordenação do metal com o ligante. A partir dos resultados obtidos pelas curvas TG-DTA, foi possível propor a seguinte relação estequiométrica dos compostos em pH 3,0 : A1 (FeL.12.5H2O), A2 (Fe3L.11.5H2O), A3 (Fe2,5L.12H2O), A4 (Fe3L.13.5H2O), A5 (Fe3L.9H2O), A6 (Fe3L.11H2O), A7 (Fe3L.11H2O), para pH 5,0: A1 (Fe4L.17H2O), A2 (Fe4L.18H2O), A3 (Fe3.5L.14H2O), A4 (Fe4L.16H2O), A5 (Fe3.5L.17H2O), A6 (Fe4L.16H2O), A7 (Fe3L.16H2O), para pH 8,0: A1 (Fe3.5L.14H2O), A2 (Fe4.5L.23.5H2O), A3 (Fe7L.34H2O), A4 (Fe8.5L.31H2O), A5 (Fe9L.35H2O), A6 (Fe9.5L.42H2O), A7 (Fe9.5L.40H2O), o que indica que a quantidade de H-tan existente na síntese foi capaz de se ligar ao metal, sendo sugestivo de que o H-tan é ideal para o tratamento de água.

Palavras-chave: ácido tânico, ferro (II), TG-DTA.

Título: SISA – DESENVOLVIMENTO DA INTERFACE DA BASE DE DADOS E ATUALIZAÇÃO PARA A 2ª EDIÇÃO DO SISTEMA BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS (EMBRAPA SOLOS, 2006)

Orientador: JÉSUS FRANCO BUENO

Autor(es):

SIDNEI POLO


IGOR HIDEKI TRINDADE

Resumo: O Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS) é de suma importância para uma definição mais precisa das características do solo e sua aptidão agrícola, seu estudo é de grande relevância no meio acadêmico para que possa ser aplicado melhores estratégias de manejo com menor impacto ambiental e melhores resultados de produtividade. Desta forma foi desenvolvido o software SISA (Sistema de Classificação de Solos e Aptidão Agrícola) para auxiliar na identificação de solos e seus potenciais, baseando-se na primeira edição do SiBCS pela Embrapa Solos em 1999. Como os pesquisadores em ciência de solos constataram a necessidade de alterações nos diferentes níveis de classificações de solos para o aperfeiçoamento do sistema foi publicado a 2º edição do SiBCS em 2006. Assim sendo necessário a atualização da base de dados do SISA para que seja utilizada como uma ferramenta computacional para a classificação de solos, possibilitando seu uso no Ensino, Pesquisa e Extensão. A classificação de solos é dividida em seis níveis categóricos (ordens, subordens, grandes grupos, subgrupos, famílias e séries), mas esta definida até o quarto nível categórico. Essa estrutura hierárquica multicategórica foi mapeada para modelo de banco de dados relacional, esta estrutura pode ser mais bem visualizada na forma de árvore. Em conjunto com esse modelo de banco de dados foi utilizada programação procedural, dividindo em modulo de dados e procedimentos. O ambiente de desenvolvimento integrado Delphi foi utilizado para o desenvolvimento usando a linguagem Pascal e o sistema gerenciador de banco de dados Paradox incorporado na IDE. Foi adotado esse ambiente e técnicas para manter a compatibilidade com a primeira versão do SISA. Espera-se que a atualização do sistema possibilite o auxilio para os estudantes dos meios acadêmicos e profissionais da área na classificação dos solos com maior precisão e confiabilidade. E também uma interface simples e intuitiva para maior acessibilidade e compreensão do sistema taxonômico. O SISA é um software com uma base de dados baseado no SiBCS visando facilitar a classificação taxonômica de solos. A manutenção da base de dados atualizada e em consonância com as alterações introduzidas é fundamental para a confiabilidade das classificações obtidas. O uso do solo classificado em conjunto com a Classificação da Aptidão Agrícola possibilita a determinação do potencial de uso do solo. O SISA tem enorme potencial para uso como ferramenta pedagógico-educacional no ensino de graduação e pós-graduação em disciplinas ligadas ao aprendizado da classificação de solos. Outras ciências como a Engenharia Florestal, Geologia e Engenharia Civil podem fazer uso do sistema como forma mais atraente do ensino de solos. Trabalhos futuros possibilitarão a implementação do sistema SISAWeb para uso via Internet e como aplicação em computador pessoal.

Palavras-chave: software aplicado a solos, classificação de solos, identificação de solos, ferramenta educacional.

Título: SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA E O POTENCIAL DE INÓCULO DE DARK SEPTATE

Orientador: DANIELA TIAGO DA SILVA CAMPOS

Autor(es):

1   ...   180   181   182   183   184   185   186   187   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə