Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə193/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   189   190   191   192   193   194   195   196   ...   201

JOAO FILIPE COSTA ALVES PEREIRA


Resumo: O Vale do Juruena compreende sete municípios localizados na Amazônia Legal de Mato Grosso, apresentando rica biodiversidade florística e cultural. O presente trabalho tem por objetivo avaliar a atividade antibacteriana e antifúngica de extratos de plantas medicinais de uso popular. Foram preparados extratos hidroetanólicos (75%) de Gossypium hirsuttum L. (EHGh), Desmoncus polycanthos (EHDp), Costus sp. (EHCs), Dendracalamus giganteus (EHDg), Trema micrantha (L.) Blum. (EHTm), Cedrela odorata L. (EHCo), Amburana cearensis (Allemão) A. C. Sm. (EHAc), Zingiber officinale (EHZo), Cordia nodosa Lam. (EHCn) e Smilax brasiliensis Spreng (EHSb). Foram utilizadas 5 cepas de bactérias gram-negativas (Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Salmonella typhimurium, Shigella flexneri), 4 cepas de bactérias gram-positivas (Enterococcus faecalis, Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis, Streptococcus pyogenes) e 5 cepas de leveduras (Candida albicans, Candida albicans fluconazol-resistente, Candida krusei, Candida parapsilosis, Candida tropicalis). Para pesquisa de atividade antibacteriana foram realizados ensaios de difusão em disco e microdiluição em caldo, avaliando o halo de inibição (mm) e a concentração inibitória mínima (CIM em µg/mL) e utilizando cloranfenicol como padrão (30 µg/disco e 2,5 a 400 µg/mL, respectivamente). A atividade antifúngica foi avaliada por ensaio de microdiluição em caldo, utilizando anfotericina B como padrão (6 a 25 µg/mL). Nos ensaios de microdiluição em placa, o EHGh teve CIM 200 µg/mL para S. pyogenes; o EHDp, 25 µg/mL para S. flexneri e E. faecalis e 200 µg/mL para S. pyogenes; EHCs, 800 µg/mL contra S. flexneri; EHDg e EHTm, 100 e 200 µg/mL contra E. faecalis, respectivamente; EHCo, 800, 50 e 400 µg/mL contra S. flexneri, E. faecalis e S. aureus, respectivamente; EHAc, 800 µg/mL contra E. faecalis e 100 µg/mL para S. pyogenes; EHZo, 200, 100 e 100 µg/mL para K. pneumoniae, S. typhimurium e S. flexneri, respectivamente, e 6,25, 25, 100 e 100 µg/mL contra E. faecalis, S. aureus, S. pyogenes e S. epidermidis, respectivamente; EHCn, 800 µg/mL contra K. pneumoniae e S. typhimurium, 400 µg/mL para S. flexneri e S. aureus, 200 µg/mL para E. faecalis e 12,5 µg/mL para S. pyogenes e S. epidermidis; e o EHSb teve CIM 400 µg/mL contra E. faecalis. Não foi observada atividade contra as demais cepas bacterianas. Não houve halos de inibição no método de disco-difusão. Não houve atividade contra as leveduras. Os extratos de algumas plantas, como C. nodosa e Z. officinale tiveram amplo espectro de ação, enquanto outros como D. Giganteus tiveram um espectro bem mais restrito, atuando de forma intensa contra E. faecalis, mas sendo inativo contra as demais cepas testadas.

Palavras-chave: Floresta Amazônica; plantas medicinais; antimicrobiano

Título: TRIAGEM ANTI-HELICOBACTER PYLORI DE PLANTAS MEDICINAIS DO VALE DO JURUENA, MATO GROSSO

Orientador: DOMINGOS TABAJARA DE OLIVEIRA MARTINS

Autor(es):

WILLIAN RAFAEL DE ALMEIDA SAMPAIO


Resumo: O Vale do Juruena localiza-se na Amazônia Legal de Mato Grosso, apresentando rica biodiversidade florística e cultural. Esse trabalho tem como objetivo avaliar a atividade anti-Helicobacter pylori de extratos de plantas medicinais do Vale do Juruena. Foram preparados extratos hidroetanólicos (75%) de Arrabidea chica (H. B. K.) Verlot (EHAc), Piper umbellatum L. (EHPu), Zingiber officinale (EHZo), Digitaria insularis (L.) Mez ex Ekman (EHDi), Cordia nodosa Lam.(EHCn), Trema micrantha (L.) Blume (EHTm) e Diospyros inconstans Jacq.(EHDn). Foram utilizadas cepas de H. pylori 43504 (VacA e CagA positivos) da ATCC. A atividade anti-H. pylori foi avaliada em ensaios de difusão em disco e microdiluição em caldo. No teste de difusão em disco foi avaliado o halo de inibição bacteriano, considerando-se ativos extratos com halos > 10 mm e utilizando-se cloranfenicol (30 µg/disco) como droga padrão. No ensaio de microdiluição em caldo foi avaliada a concentração inibitória 50% (CI50), utilizando-se com padrão claritromicina (25 µg/mL). Os EHPu, EHZo e EHDi foram submetidos a ensaios de citotoxicidade in vitro e os EHPu e EHZo a ensaios de toxicidade aguda in vivo. Para a citotoxicidade foram utilizadas células epiteliais de ovário de hamster chinês (CHO-K1) e a atividade citotóxica foi avaliada pelo método de azul Alamar ® (Springer et al., 1998), usando-se doxorrubicina como padrão, considerando-se citotóxicos extratos com CI50 < 50 µg/mL (Froelich, 2007). A toxicidade in vivo foi avaliada pelo teste hipocrático, em que camundongos Swiss (n=6/grupo), de ambos os sexos, receberam, via oral, EHPu (2000, 1000 e 500 mg/kg) e EHZo (400, 200 e 100 mg/kg), sendo que um animal de cada grupo recebeu o veículo. Os animais foram observados individualmente nos tempos 0, 15, 30 min; 1, 2, 4 e 8 h e durante duas semanas (uma vez ao dia). As alterações comportamentais gerais foram anotadas na tabela adaptada de Malone (1977). Os EHAc, EHPu, EHZo e EHDn apresentaram, respectivamente, CI50 de 11,72 ± 0,00; 5,86 ± 0,03; 5,86 ± 0,10 e 22,44 ± 0,00 µg/mL frente ao H. pylori, sendo sos demais extratos inativos. A CI50 da claritromicina foi de 5,86 ± 0,02 µg/mL. Nenhum dos extratos foi ativo no ensaio de difusão em disco, ao contrario do cloranfecnicol (halo de 35 mm). No teste hipocrático, os animais tratados com EHPu não apresentaram nenhuma alteração comportamental. Com 400 mg/kg do EHZo verificou-se aumento da motilidade para 1 camundongo macho e redução de motilidade para 2 camundongas fêmeas, além de sinais de agressividade em 1 delas, efeitos estes que desapareceram em 2 h. No ensaio de citotoxicidade os EHPu, EHZo e EHDi apresentaram CI50 > 200 µg/mL, enquanto com doxorrubicina a CI50 foi de 0,383 ± 0,39 µg/mL. Os resultados apontam intensa atividade anti-Helicobacter pylori para os EHAc, EHPu, EHZo e EHDn e baixíssima toxicidade aguda oral e citotoxicidade para os EHPu, EHZo e EHDi.

Apoio: FAPEMAT, CNPq, CAPES, CPP, INAU

Palavras-chave: Plantas medicinais; floresta amazônica; helicobacter pylori; citotoxicidade.

Título: UM ESTUDO DE CASO SOBRE AGRUPAMENTO DE DOCUMENTOS

Orientador: JOSIEL MAIMONE DE FIGUEIREDO

Autor(es):

ANDREIA GENTIL BONFANTE

JOSIEL MAIMONE DE FIGUEIREDO


1   ...   189   190   191   192   193   194   195   196   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə