Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə45/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   41   42   43   44   45   46   47   48   ...   201

GABRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA


KEVEN ALLEF FERREIRA DA COSTA

LUCIANA KARIELE MAIA NASCIMENTO

Resumo: Este trabalho foi conduzido na propriedade rural conhecida como Fazenda Paineiras localizada no município de General Carneiro – MT na altura do km 90 da rodovia BR 070, com o objetivo de conhecer o comportamento de algumas progênies de murici da espécie (Byrsonima cydoniifolia), sob condições de cultivo. O experimento é constituído de 60 plantas de murici, no delineamento inteiramente casualizado com 15 repetições. Cada parcela é constituída por uma única planta na cova. As plantas estão numeradas de 1 a 60, sendo as de numeração de 1 até 30 de maior porte com mais de trinta folhas e altura de aproximadamente trinta centímetros e as de numeração de 31 até 60 são de menor porte com seis a oito folhas e altura aproximada de quatro centímetros que se encontravam em tubetes. As mudas foram transplantadas para o campo na época das chuvas, no espaçamento de 3x3m. Foram medidos os seguintes caracteres: altura da planta, em centímetros, do nível do solo até o último nó apical formado, do diâmetro do caule a trinta centímetros do solo, número de nós com ramos e número de ramos na planta. Decorridos 806 dias após o transplante, a altura média entres as plantas maiores foi de 191,8 cm com máximo de 238 e mínimo de 144 enquanto que para as plantas provenientes de tubete foi de 146,5 cm com máxima de 191 e mínimo de 95. O diâmetro médio do caule para as plantas maiores foi de 49,63 mm com máximo de 66,50 e mínimo de 26,08. Para as plantas de tubete, a média foi de 33,95mm de diâmetro com progênies atingindo até 46,76mm e mínimo de 9,77mm. O número de ramos que as plantas maiores tinham em média aos 806 dias foi de 18 ramos existindo plantas com máximo de 37 e, no mínimo, 9. Nas plantas provenientes de tubetes, a média foi de 14 ramos com máximo de 22 e mínimo de 5. A quantidade de nós com ramos nas plantas maiores apresentaram, em média, 12 nós com ramos com máximo de 23 e mínimo de 5. Em média, foi encontrado dez nós com ramos nas plantas provenientes de tubetes cujo máximo observado foi de plantas com 14 nós e o mínimo de 3. As progênies que tiveram desempenho acima da média geral foram 07, 09,13, 15, 21, 24, 25, 33, 39 e 54 para altura de plantas; 07, 11, 12, 14, 15, 16, 19, 24, 25, 31, 38, 39, 52 e 54 para diâmetro do caule; 07, 14, 19, 25, 31 e 57 para número de ramos e 07, 14, 19, 25, 37, 54 e 57 para número de nós. No material estudado existe variabilidade no desempenho do desenvolvimento das progênies. Para o estabelecimento de pomares comerciais devem-se utilizar mudas de maior porte.

Palavras-chave: Perfomance, Ensaios de campo, Murici

Título: AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE ALGUMAS PROGÊNIES DE MURICI (BYRSONIMA CYDONIIFOLIA) EM CAMPO PARA FINS DE SUA DOMESTICAÇÃO E SELEÇÃO.

Orientador: DEVANIR MISTUYUKI MURAKAMI

Autor(es):


GABRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA


KEVEN ALLEF FERREIRA DA COSTA

LUCIANA KARIELE MAIA NASCIMENTO
Resumo: Este trabalho foi conduzido na propriedade rural conhecida como Fazenda Paineiras localizada no município de General Carneiro – MT na altura do km 90 da rodovia BR 070, com o objetivo de conhecer o comportamento de algumas progênies de murici da espécie (Byrsonima cydoniifolia), sob condições de cultivo. O experimento é constituído de 60 plantas de murici, no delineamento inteiramente casualizado com 15 repetições. Cada parcela é constituída por uma única planta na cova. As plantas estão numeradas de 1 a 60, sendo as de numeração de 1 até 30 de maior porte com mais de trinta folhas e altura de aproximadamente trinta centímetros e as de numeração de 31 até 60 são de menor porte com seis a oito folhas e altura aproximada de quatro centímetros que se encontravam em tubetes. As mudas foram transplantadas para o campo na época das chuvas, no espaçamento de 3x3m. Foram medidos os seguintes caracteres: altura da planta, em centímetros, do nível do solo até o último nó apical formado, do diâmetro do caule a trinta centímetros do solo, número de nós com ramos e número de ramos na planta. Decorridos 806 dias após o transplante, a altura média entres as plantas maiores foi de 191,8 cm com máximo de 238 e mínimo de 144 enquanto que para as plantas provenientes de tubete foi de 146,5 cm com máxima de 191 e mínimo de 95. O diâmetro médio do caule para as plantas maiores foi de 49,63 mm com máximo de 66,50 e mínimo de 26,08. Para as plantas de tubete, a média foi de 33,95mm de diâmetro com progênies atingindo até 46,76mm e mínimo de 9,77mm. O número de ramos que as plantas maiores tinham em média aos 806 dias foi de 18 ramos existindo plantas com máximo de 37 e, no mínimo, 9. Nas plantas provenientes de tubetes, a média foi de 14 ramos com máximo de 22 e mínimo de 5. A quantidade de nós com ramos nas plantas maiores apresentaram, em média, 12 nós com ramos com máximo de 23 e mínimo de 5. Em média, foi encontrado dez nós com ramos nas plantas provenientes de tubetes cujo máximo observado foi de plantas com 14 nós e o mínimo de 3. As progênies que tiveram desempenho acima da média geral foram 07, 09,13, 15, 21, 24, 25, 33, 39 e 54 para altura de plantas; 07, 11, 12, 14, 15, 16, 19, 24, 25, 31, 38, 39, 52 e 54 para diâmetro do caule; 07, 14, 19, 25, 31 e 57 para número de ramos e 07, 14, 19, 25, 37, 54 e 57 para número de nós. No material estudado existe variabilidade no desempenho do desenvolvimento das progênies. Para o estabelecimento de pomares comerciais devem-se utilizar mudas de maior porte.

Palavras-chave: Perfomance, Ensaios de campo, Murici

Título: AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO DE FÊMEAS E MACHOS DE CODORNAS JAPONESAS POR MEIO DO MODELO DE GOMPERTZ

Orientador: ANDRÉA LUCIANA DOS SANTOS

Autor(es):

ANDREA LUCIANA DOS SANTOS


FERNANDA LIMA SILVA

DAIANE HENRIQUE DA SILVA PINTO

Resumo: A realização deste trabalho teve como objetivo avaliar o crescimento de codornas Japonesas fêmeas e machos (Coturnix coturnix japonica) no período de 1 a 50 dias de idade utilizando o modelo não-linear de Gompertz. Foram utilizadas 120 codornas fêmeas e 120 machos, distribuídas em vinte gaiolas com 12 aves cada. As aves tiveram acesso ad libitum à água e ração. O peso vivo médio foi mensurado para cada grupo de 12 aves. De acordo com o ajuste do modelo de Gompertz foi observado que as codornas japonesas fêmeas apresentaram peso à maturidade de 186g, taxa de maturidade de 0,0557g/dia e peso à taxa máxima de crescimento de 68,43g aos 17,95 dias de idade, porém as codornas Japonesas machos apresentaram peso à maturidade de 152 g, taxa de maturidade de 0,0694 g/dia e peso à taxa máxima de crescimento de 55,48 g aos 14,39 dias de idade. O modelo utilizado permitiu descrever adequadamente o crescimento das aves podendo ser considerado uma ferramenta útil ao monitoramento e avaliação do crescimento de codornas Japonesas. Apesar das codornas Japonesas serem aves de crescimento rápido e apresentarem potencial para a produção de carne, a linha estudada apresenta taxa de crescimento mais lento e menos intenso do que outras linhas da mesma espécie, levando a crer que essas aves foram selecionadas para a produção de ovos e não para a produção de carne.

Palavras-chave: modelo não linear, peso corporal, taxa de crescimento

Título: AVALIAÇÃO DO EFEITO DE AGROTÓXICO UTILIZADO EM LAVOURAS DO NORTE DO MATO GROSSO: AÇÃO DO GLIFOSATO X PARÂMETROS METABÓLICOS NO HIBRIDO SURUBIM.

Orientador: VALÉRIA G. SINHORIN

Autor(es):


1   ...   41   42   43   44   45   46   47   48   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə