Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə49/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   45   46   47   48   49   50   51   52   ...   201

PAULA CARINE HANSEN




Resumo: O ambiente aquático é freqüentemente contaminado por defensivos agrícolas utilizados em lavouras e, uma grande variedade deles pode contaminar este meio. Assim, podem causar desequilíbrio ecológico e danos a organismos não-alvo como peixes de importância comercial. Portanto, estes animais têm sido utilizados como bioindicadores da poluição ambiental, pois quando em contato com estes compostos podem ocorrer interações capazes de causar distúrbios bioquímicos como geração de espécies reativas de oxigênio (EROs). Xenobióticos podem causar estresse oxidativo e este levar à formação de EROs e promover alterações nas defesas antioxidantes enzimáticos (superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e glutationa peroxidase (GPx)) e não enzimáticas como antioxidantes lipofílicos e hidrofílicos (ácido ascórbico (ASA) e glutationa reduzida (GSH)) em organismos aquáticos. O Roundup® (formulação que contém glifosato) é um herbicida pós-emergente, classificado como não-seletivo e de ação sistêmica. Apresenta largo espectro de ação, e largamente utilizado no combate de pragas nas lavouras de soja de Mato Grosso. A pulverização dos pesticidas sobre as plantas pode resultar no escoamento destes para os rios afetando a vida aquática. Neste trabalho foi investigado o efeito do Roundup® no peixe híbrido surubim (Pseudoplastytoma coruscans x Pseudoplastytoma reticulatum) amplamente produzido nas pisciculturas da região (localizadas em torno das lavouras) e de grande importância econômica e comercial. Neste trabalho, os peixes foram expostos as seguintes concentrações do herbicida: 0, 3, 6, 10 e 20 mg L-1 por 96 horas. As atividades da SOD e da CAT foram determinadas de acordo com Misra e Fridovich (1972) e Nelson and Kiesow (1972), respectivamente. Os antioxidantes não enzimáticos, ASA e GSH, foram quantificados de acordo com Roe (1954) e Sedlack e Lindsay (1968), respectivamente. Os parâmetros enzimáticos e não enzimáticos foram determinados no fígado e cérebro dos animais. As proteínas foram mensuradas pelo método de Bradford (1976). A atividade da SOD diminuiu em 25,4% no fígado após a exposição à concentração de 3 mg L-1, e também diminuiu no cérebro após a exposição às concentrações de 6, 10 e 20 mg L-1 de glifosato (29,7%, 30% e 27,8%, respectivamente), comparada com o controle. A atividade da CAT hepática decaiu após a exposição a 6, 10 e 20 mg L-1, para 32%, 36,9%, 36,3%, respectivamente, fato também observado no cérebro dos peixes expostos às mesmas concentrações (68,4%, 55,8%, 65%, respectivamente). Em relação aos antioxidantes não enzimáticos os níveis de ASA aumentaram no fígado do surubim exposto às concentrações de 3 e 6 mg L-1, em 49% e 45%, respectivamente, bem como aumentaram no cérebro em 14,4% nos peixes expostos a 3 mg L-1 de glifosato; e os níveis de ASA hepática aumentaram (35,8%) na exposição à concentração de 3 mg L-1 e 21,4% no cérebro do peixe exposto a 10 mg L-1 do herbicida. Estes resultados demonstram que o Roundup® prejudicou a saúde do surubim promovendo um estresse oxidativo, que resultou em mudanças no sistema antioxidante e que podem afetar a sobrevivência do animal no meio ambiente aquático. E, estas alterações podem ser usadas como bioindicadores da exposição ao herbicida.

Palavras-chave: peixe, glifosato, estresse oxidativo, antioxidantes enzimáticos e não-enzimáticos

Título: AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS FISIOLÓGICOS DE VACAS LEITEIRAS ALIMENTADAS COM DIFERENTES FONTES PROTEICAS

Orientador: JANAÍNA JANUÁRIO DA SILVA

Autor(es):

DANIEL MONGE DE ALMEIDA QUEIROZ


DAYANA ITAI DE ANDRADE



Resumo: A avaliação dos parâmetros fisiológicos na bovinocultura leiteira é importante, pois o estresse térmico, comum a essa cadeia produtiva advindo da grande produção de calor endógeno, pode afetar negativamente o consumo de matéria seca e, por consequência o desempenho produtivo dos animais. Considerando-se que os bovinos são animais homeotermos, isto é, mantém a sua temperatura corporal constante por meio de funções fisiológicas, tais como frequência respiratória e cardíaca, possíveis alterações nesses parâmetros são indicativos de desconforto térmico. Visando-se a redução dos custos, fundamentalmente com a alimentação, a utilização de coprodutos oriundos do beneficiamento e/ou processamento de grãos apresentam-se como uma boa alternativa. Dentre estes, destaca-se o resíduo do beneficiamento do feijão comum (Phaseolus vulgaris L.), entretanto, para que se possa incorporá-lo em rações para ruminantes, faz-se necessária sua caracterização e conhecimento sobre as possíveis alterações metabólicas que ocasionem variações fisiológicas nos animais. Objetivou-se, portanto, avaliar a inclusão do resíduo do feijão como fonte de proteína em comparação a outras fontes convencionais na alimentação de vacas leiteiras, através dos parâmetros fisiológicos: frequência cardíaca, frequência respiratória e temperatura retal. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental Risoleta Neves, pertencente à Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), unidade de São João Del Rei – MG, durante os meses de fevereiro a abril de 2012. Foram utilizadas oito vacas mestiças (Holandesas x Zebu) em lactação, com peso médio de 500 kg, entre o 60º e o 90º dia de lactação e produção média de 15 kg de leite/dia, distribuídas em dois quadrados latinos 4x4 (quatro tratamentos x quatro períodos), com períodos experimentais de 15 dias, sendo os animais mantidos numa área de 5 ha de pastagem mista, dividida em 10 piquetes de 0,5 ha providos de saleiro e bebedouro, mantidas nos piquetes sob forma de manejo rotacionado com intervalo de 3 dias. Os tratamentos foram constituídos por dietas contendo diferentes fontes proteicas, sendo os alimentos utilizados como fonte de proteína: resíduo de feijão, farelo de soja, farelo de algodão 38% e farelo de girassol. Os ingredientes das dietas foram: milho moído e os alimentos proteicos supracitados ofertados na relação volumoso concentrado de 60:40, sendo as mesmas formuladas para serem isoproteicas. As avaliações dos parâmetros fisiológicos aconteceram sempre no 14º dia de cada período experimental, sendo mensuradas duas vezes ao dia nos intervalos entre 8:00 às 9:00 horas e de 15:00 às 16:00 horas, com auxílio de cronômetros digitais, estetoscópio e termômetro clínicos. O experimento encontra-se em fase de processamento das amostras e realização de análises laboratoriais, contudo os resultados numéricos encontrados para as variáveis avaliadas indicam que a utilização do resíduo de feijão como fonte proteica para bovinos leiteiros, não alterou as variáveis fisiológicas dos animais quando comparada ao uso de fontes tradicionais.

Palavras-chave: Coproduto de feijão, parâmetros fisiológicos, bovinocultura leiteira.

Título: AVALIAÇÃO DOS RESÍDUOS GERADOS NAS AGROINDÚSTRIAS DE SINOP – DIAGNÓSTICO AMBIENTAL

Orientador: ROSELENE MARIA SCHNEIDER

Autor(es):

1   ...   45   46   47   48   49   50   51   52   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə