Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə72/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   68   69   70   71   72   73   74   75   ...   201

THAMINNE HELIODORO PEREIRA


Resumo: Dados epidemiológicos mostram que o contingente de idosos no Brasil tem aumentado significativamente acompanhando a tendência mundial. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o Brasil será o sexto país no mundo, em número de idosos até o ano de 2025. O crescimento dessa população tem gerado impacto na sociedade, principalmente no âmbito familiar que muitas vezes não consegue se reorganizar para cuidar do idoso, isso faz com que o estado e sociedade dividam a responsabilidade no cuidado com a população idosa. É nesse contexto que as Instituições de Longa Permanência para Idosos (IPLI) surgem como alternativa de cuidados para com a pessoa idosa. ILPI são instituições governamentais ou não governamentais, de caráter residencial, destinadas a domicílio coletivo de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos. Estudo quantitativo de corte transversal realizado com idosos residentes em uma instituição de longa permanência de Cuiabá, por meio de questionário estruturado com questões relacionadas as características sociodemograficas, Índice de Katz e o Mini Exame do Estado Mental(MEEM)para avaliar as condições de saúde. As informações foram digitadas em planilhas eletrônicas Excel e analisados com base na literatura produzida sobre o tema. Os dados foram coletados no período de Maio a Junho de 2012. Participaram do estudo 74 idosos, destes 70,2% são do sexo masculino, 64,8% estão na faixa etária de 70 a 80 anos ou mais, 24,3% se autoreferiram de cor parda, 18,9% viúvos, 64,8% analfabetos, 59,4% professam a fé católica, 56,7% nasceram na região centro-oeste, todos são aposentados e a maioria recebe um salário mínimo. Em relação às condições de saúde, 30,4% são hipertensos e 46,3% estão sem registro de diagnóstico, 52,6% são dependentes parcial ou total para as atividades de vida diária. Em relação aos órgãos dos sentidos, a visão está diminuída em 59,2% dos idosos os demais estão preservados. Quanto à capacidade cognitiva, verificou-se que todos estão abaixo da média esperada. A média de tempo de institucionalização do idoso é 5anos ou mais, 45,9% chegaram à instituição por meio de familiares ou conhecidos. Com o envelhecimento populacional há uma tendência ao aumento das instituições de longa permanência, com isso, há a necessidade de que os profissionais de saúde façam a avaliação e acompanhamento sobre a vida os idosos, no sentido de identificar os fatores de risco para a saúde e estabelecer estratégias de prevenção.

Palavras-chave: Idosos; Instituição de longa permanência; Instituição asilar.

Título: CONDIÇÕES DE SAÚDE DE IDOSOS RESIDENTES EM INSTIUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA DO MUNICÍPIO DE VARZEA GRANDE-MT

Orientador: ROSEMEIRY CAPRIATA DE SOUZA AZEVEDO

Autor(es):

MARLIZA DE CASTILHO CORREIA


Resumo: O Ministério da Saúde estabelece que o domicílio é o local mais adequado para cuidar e acolher o idoso. Entretanto, dada a impossibilidade de a família prestar esse cuidado, seja por ausência de cuidador, condições financeiras, de habitação, entre outros, tem recorrido às Instituições de Longa Permanência (ILPI) para cuidar do idoso. O trabalho teve por objetivo traçar o perfil sóciodemográfico e as condições de saúde dos idosos residentes na Instituição de Longa Permanência do município de Várzea Grande-MT. Estudo quantitativo de corte transversal realizado com idosos residentes em uma instituição de longa permanência de Várzea Grande, por meio de questionário estruturado com questões relacionadas as características sociodemograficas e para avaliar as condições de saúde foi utilizado o Índice de Katz e o Mini Exame do Estado Mental(MEEM). As informações foram digitadas em planilhas Excel e analisados com base na literatura produzida sobre o tema. Os dados foram coletados no período de Maio a Junho de 2012. Participaram do estudo 17 idosos, 64,7% são do sexo masculino, 82,2% na faixa etária de 70 a 80 anos ou mais, 41,1% se autoreferiram de cor parda, 47% viúvos, 64,7% analfabetos, 76,4% são católicos, 76,4% nasceram na região centro oeste, 94,1% são aposentados e recebem um salário mínimo. Em relação às condições de saúde, 41,1% são hipertensos, 52,9% são independentes para as atividades de vida diária, os órgãos dos sentidos estão preservados (visão 70,5%, audição 52,9%, paladar 94,1% e tato 100%). Quanto a capacidade cognitiva, verificou-se que todos estão abaixo da média esperada. Vale ressaltar que a maioria dos idosos 47% chegou a instituição por familiares e 29,4% por iniciativa própria. Com o envelhecimento populacional há uma tendência ao aumento das instituições de longa permanência, com isso, há a necessidade de que os profissionais de saúde façam a avaliação e acompanhamento sobre a vida os idosos, no sentido de identificar os fatores de risco para a saúde e estabelecer estratégias de prevenção.

Palavras-chave: Idoso, Instituição de Longa Permanência, Enfermagem, Instiuição Asilar.

Título: CONDIÇÕES DE VIDA DE IDOSOS ATENDIDOS NOS SERVIÇOS AMBULATORIAIS DE GERIATRIA DOS HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS DE CUIABÁ-MT

Orientador: ANNELITA REINERS

Autor(es):

LUIZ ROBERTO BILO


FLAVIA NUNES MARUYAMA

FLAVIA NUNES MARUYAMA
Resumo: Conhecer as condições de vida da população idosa atendida no serviço ambulatorial dos hospitais universitários do município de Cuiabá, Mato Grosso. Estudo exploratório, descritivo, transversal, realizado nos ambulatórios de geriatria dos hospitais universitários do município de Cuiabá – MT com 67 idosos. A coleta de dados foi realizada no período de abril e maio de 2012 utilizando-se um questionário, o Índice de Katz e a Escala de Lawton e Brody para avaliar a capacidade funcional dos idosos, e Mini Exame Estado Mental para avaliar seu estado mental. Na análise dos dados foi utilizado o programa SPSS 20.0. A maioria dos idosos deste estudo atendidos nos ambulatórios de geriatria dos hospitais universitários pesquisados é do sexo feminino (67,2%), viúva (47,8%), refere cor parda (49,2%), e está nas faixas etárias compreendidas entre 60 e 69 anos e 70 e 79 anos (77,6%). Além disso, a maior parte deles possui de 1 a 3 anos de estudo (47,8%), é procedente da zona urbana (94,0%) do município de Cuiabá (73,1%). Observamos também que a parte maior dos idosos pesquisados mora com sua família (83,6%), maioria é aposentada (82,1%) e recebe meio a 1 salário mínimo por mês (73,1%). A fonte de renda da maior parte dos idosos de estudo provém de benefícios como aposentadoria e pensão (76,1%). Entre os 11 que ainda trabalham, predominam as atividades realizadas na construção civil, indústria e comércio (81,8%). A renda familiar variou entre 1 e 2 salários mínimos e 2 a 5 salários mínimos (31,3% e 22,4%, respectivamente). Assim, no caso dos idosos que freqüentam serviços ambulatoriais, os resultados deste estudo poderão fornecer aos profissionais de saúde e aos gestores dos serviços informações mais amplas que possam melhorar a qualidade da assistência prestada a eles.

Palavras-chave: Idoso. Assistência Ambulatorial. Condições de vida. Funcionalidade. Incapacidade. Saúde do idoso.

Título: CONDIÇÕES MATERIAIS E INFRAESTRUTURAIS PARA AS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM CUIABÁ-MT: QUAL A REALIDADE?

Orientador: EVANDO CARLOS MOREIRA



Autor(es):
1   ...   68   69   70   71   72   73   74   75   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə