Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə81/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   77   78   79   80   81   82   83   84   ...   201

YOLANDA PAIM ARRUDA TREVISAN


Resumo: As dermatopatias não tumorais são afecções dermatológicas que acometem os animais de qualquer idade, sexo ou raça, embora se apresente mais comum em filhotes, animais imunodeficientes ou velhos. Baseado nas diversas afecções existentes percebeu-se a necessidade de analisar as prevalências das dermatopatias no atendimento da clínica médica do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (HOVET-UFMT). Com este objetivo foram analisados 1304 prontuários no setor de arquivos do HOVET-UFMT em que 223 animais, sendo 12 gatos e 211 cães, apresentaram sinais dermatológicos primários ou secundários representando 17,10% das consultas. Desses animais afetados, 42 (20%) cães e 4 (33,37%) gatos apresentaram positivo para dermatofitose, sendo o Microsporum sp. encontrado em maior frequência. Os dados foram agrupados de acordo com sexo, grupo etário, raça e suspeita clínica. Sobre a prevalência de dermatopatia, a dermatofitose foi a mais encontrada com 21% dos casos, seguido da demodicose com 16,67% e pelas dermatites com 16,66%. A escabiose também teve resultados significantes com 8,33% juntamente com a piodermite (4,86%). As demais doenças como, atopia, foliculite, malassezíase e seborreia alcançaram índices inferiores a 2,5% de prevalência. Dos 211 cães acometidos por afecções dermatológicas, em 117 foram realizados os exames de cultivo fúngico e lâmpada de Wood em busca de resultados para dermatofitose. As culturas fúngicas resultaram em 66 (56,41%) cães positivos e 51 (43,59%) negativos. Dentre os resultados positivos, apenas 42 (63,64%) foram positivos para lâmpada de Wood. Nos resultados negativos para cultura fúngica, 18 (15,38%) cães foram julgados positivos pela lâmpada de Wood. O objetivo deste estudo foi analisar a incidência da dermatofitose nos animais e sua distribuição quanto à raça, sexo e idade, além de comparar os exames realizados: cultivo fúngico e lâmpada de Wood.

Palavras-chave: doenças de pele, dermatologia, dermatopatia, prevalência, fungo, sarna.

Título: DERMATOPATIAS PARASITÁRIAS EM CÃES: CARACTERISTICAS CLÍNICAS, DISTRIBUIÇÃO E ASPECTOS MACROSCÓPICOS DAS LESÕES DE ANIMAIS ASSISTIDOS NO HOVET-UFMT

Orientador: VALÉRIA RÉGIA FRANCO SOUSA

Autor(es):

NAYARA BENITES MOREIRA


NAIANI DOMINGOS GASPARETTO

Resumo: A pele funciona como barreira anatômica e fisiológica entre o corpo do animal e o ambiente, fornecendo proteção contra as agressões físicas, químicas e microbiológicas. Os cães são hospedeiros freqüentes de ectoparasitas, sendo os artrópodes os maiores causadores de afecções cutâneas. Assim, as lesões cutâneas mais comuns são causadas por ácaros da sarna e carrapatos, e por insetos como os piolhos e as pulgas. Pesquisou-se a ocorrência de dermatopatias parasitárias em caninos dentre os casos de dermatopatias não-tumorais assistidos no HOVET-UFMT, com posterior caracterização clinica e morfológica das lesões, destacando assim, a importância dessa área na clínica de pequenos animais. De um total de 84 caninos com dermatopatias, em 14 (16,66%) cães foram observados sarna demodécica. Quase todos os caninos com demodicose apresentaram alopecia, mas, apenas 42,86% (6) apresentaram hipotricose. A descamação esteve presente em 11 destes cães (78,57%) e o prurido foi observado em apenas cinco caninos. Sobre o aspecto macroscópico das lesões, foi observado que todos os caninos continham eritrema, 13 (92,86%) crostas, 12 (85,71%) pápulas, 12 (85,71%) pústulas, 6 (42,86%) urticas e 5 (35,71%) hiperpigmentação. As lesões se localizaram principalmente na cabeça, tórax, pescoço, membro torácico, membro pélvico, abdômen, dorso, períneo e orelha. Em sete cães a distribuição estava de modo disseminado. A dermatite alérgica à picada de ectoparasitos (DAPE) esteve presente em (4,76%) dos cães. Dentre os três caninos que apresentaram Dermatite Alérgica à Picada de Pulga, dois continham hipotricose, descamação e prurido generalizado. Observou-se que os três caninos (100,00%)apresentavam crostas pelo corpo. Apenas dois cães continham Dermatite por picada de Carrapato. A Descamação esteve presente em ambos caninos e apenas um apresentou hipotricose e prurido. Sobre o aspecto macroscópico das lesões ambos continham eritrema, crostas, pústulas, urticas e colaretes epidérmicos. A distribuição das lesões dos caninos com DAPE foram principalmente na cabeça, pescoço, dorso, tórax, abdômen, membro torácico e membro pélvico. Conclui-se que dentre as dermatopatias parasitárias caninas, a demodicose apresenta a prevalência e ocorrência relativamente alta na rotina clínica do HOVET-UFMT, o que ressalta a importância da caracterização das lesões, bem como seus aspectos macroscópicos visando à adequada implantação terapêutica.

Palavras-chave: Dermatopatia Parasitária, Sarna demodécica, Ectoparasitas, Cães

Título: DESCRIÇÃO DENDROLÓGICA E CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DA MADEIRA DE ANGICO-VERMELHO, ANADENANTHERA PEREGRINA (L.) SPEG.

Orientador: NORMAN BARROS LOGSDON

Autor(es):

LEONARDO ANTÔNIO MORAES ZAQUE


Resumo: RESUMO: A espécie Anadenanthera peregrina (L.) Speg., conhecida vulgarmente por ANGICO-VERMELHO, pertence à família LEGUMINOSAE - Mimosoideae, distribui-se naturalmente nos estados de Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, sendo particularmente abundante nos cerradões e nas matas semicaducifólias do centro-oeste brasileiro. Alcança mais de 20 m de altura e 80 cm de diâmetro. A relativa abundância dessa espécie torna relevante o estudo de suas características, uma vez que seu uso ainda é rudimentar. O objetivo desse trabalho é o estudo das características dendrológicas e físicas do ANGICO-VEMELHO. Para a caracterização dendrológica, foram preparadas exsicatas, utilizando pelo menos três exemplares da espécie. As espécies foram identificadas pela comparação das exsicatas coletadas com material catalogado no Herbário Central da Universidade Federal de Mato Grosso. Para a caracterização física, tomou-se um lote formado por três árvores, extraindo-se quatro corpos-de-prova de cada árvore. Através de ensaios de estabilidade dimensional foram obtidas: as principais propriedades físicas da espécie; os diagramas de inchamentos e de retrações e os diagramas de densidade aparente com o teor de umidade, tanto no umedecimento quanto na secagem. Os dados obtidos fornecem informações úteis sobre a espécie e permitem concluir sobre utilizações dessa madeira.

Palavras-chave: Palavras-chaves: inchamentos, retrações, densidade aparente.

Título: DESCRIÇÃO DENDROLÓGICA E CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DA MADEIRA DE MAÇARANDUBA, MANILKARA HUBERI (DUCKE) CHEVAL - SAPOTACEAE

Orientador: ANDRESSA MIDORI YAMAUCHI BAUFLEUR

Autor(es):

1   ...   77   78   79   80   81   82   83   84   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə