Universidade federal de mato grosso caderno de resumos


FREDERICK DE OLIVEIRA SILVA COLHADO



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə88/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   84   85   86   87   88   89   90   91   ...   201

FREDERICK DE OLIVEIRA SILVA COLHADO


Resumo: Atualmente a cultura do trigo ocupa o primeiro lugar na produção mundial, sendo o segundo cereal de maior consumo. No Brasil há um déficit entre produção e consumo, visto que produzimos cerca de 6 milhões de toneladas e consumimos 10 milhões de toneladas de trigo. Tal déficit nos mostra a necessidade do avanço da produção de trigo em novas áreas visto que a cultura do trigo está voltada principalmente para o sul do país com 90% da produção nacional. O objetivo deste trabalho foi determinar o desenvolvimento fenológico da cultura do trigo irrigado, no cerrado, nos sistemas convencional, mínimo e plantio direto. O experimento está sendo executado na estação experimental da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural - EMPAER situada no município de Tangará da Serra - MT. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso com os três tratamentos repetidos quatro vezes nos dois blocos. Os tratamentos foram; preparo convencional (PC) com 2 gradagens (1 pesada e uma leve) com revolvimento a ± 150 mm; preparo mínimo (PM) com uma gradagem leve, revolvimento ± 100 mm e o sistema de plantio direto ou semeadura direta (SD). Os resultados obtidos ao décimo terceiro dia para altura de planta, massa seca da parte aérea e raízes, com média de 209 mm, 0,063g e 0,027g respectivamente, mostram que não houve diferença (Tukey, P < 0,05) no crescimento inicial do trigo em função dos diferentes preparos de solo. Para as variáveis analisadas, podemos concluir que na fase inicial da cultura do trigo, por não ter um sistema radicular agressivo, as suas necessidades para germinação e crescimento são baixas, não sendo influenciadas pelo tipo de preparo de solo na semeadura.

Palavras-chave: Safrinha, fenologia, Triticum aestivum

Título: DESENVOLVIMENTO METODOLOGICO FORENSE DE RESIDUO DE DISPARO DE ARMA DE FOGO UTILIZANDO MICROSCOPIA ELETRONICA DE VARREDURA ACOPLADO COM ENERGIA DISPERSIVA DE RAIO-X

Orientador: AILTON JOSÉ TEREZO

Autor(es):


RAFAEL VIANA ALONSO


Resumo: Um dos principais fatores que permitem que o homem viva em uma comunidade é a existencia de regras, destas tem particular importância as que se designam por leis. Dentre estas leis existem as leis penais que estabelecem as condutas consideradas pela sociedade como crime, lidando com os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, culminado com a preservação da vida humana. A correta identificação dos atos e dos autores tem sido objeto de procedimentos específicos. O conjunto destes procedimentos designa-se processo penal sendo componente fundamental deste a investigação criminal. Claramente houve uma grande evolução no conhecimento científico e nas técnicas e equipamentos disponíveis em laboratórios forenses. São vários os aspectos passíveis de terem valor nas investigações criminais, desde físicos, químicos e biológicos entre outros. Dentre as formas mais comuns de crimes contra a vida, estão aqueles cometidos com armas de fogo. Neste trabalho buscou-se implementar a metodologia forense de identificação de resíduos de disparo de arma de fogo (RDAF) utilizando microscopia eletrônica de varredura acoplada com energia dispersiva de raio-x (MEV/EDX). Inicialmente, foram produzidas amostras-padrão de RDAF provenientes de um revólver calibre .38 e pistola semi-automática calibre .40, ambas com munições recarregadas com pólvora da CBC. Quando ocorre a deflagração de uma munição, são produzidos diversos resíduos com origem nos vários elementos químicos constituintes do sistema arma-munição. Os resíduos podem ter origem nas ligas metálicas constituintes da arma ou nos compostos químicos empregados na fabricação da espoleta, cápsula, carga propulsora ou do projétil. No entanto, apenas os que têm origem na espoleta são únicos de RDAF pela presença simultânea de Pb, Ba e Sb ou Ba e Sb na mesma partícula esferoidal. Na literatura, tem sido demonstrado que a técnica de MEV/EDX é única capaz de identificar um RDAF com 100 %. Neste sentido, os padrões foram coletados em porta-amostra (stub) de MEV contento fita-dupla face de carbono condutor após 1, 3 e 6 disparos com dois atiradores diferentes. Primeiramente, o stub foi posicionado próximo à arma de modo a receber a nuvem de resíduos formada durante 1 disparo. Após, outro stub foi utilizado para realizar a coleta do RDAF na região da pinça dorsal da mão direita do atirador. Esse procedimento foi adotado para 3 e 6 disparos, para as duas armas e os dois atiradores. As amostras foram analisadas por MEV/EDX para identificação do padrão de resíduos produzidos. As análises mostraram a presença de resíduos em todas as amostras-padrão produzidas. Em conformidade com os dados da literatura científica forense, os resíduos apresentaram-se com formato esferoidal da ordem de 1 a 20 um de diâmetro. Os elementos químicos exclusivos de RDAF foram identificados por meio dos espectros de EDX das partículas. Nas amostras contendo residuo provenientes do disparo da revolver, apresentam um número maior de particulas proximas a 20 um, o residuo de pistola apresenta uma maior quantidade de particulas proximas a 10 um.

Palavras-chave: residuo de disparo de arma de fogo, microscopia eletronica de varredura

Título: DETECÇÃO DE ANTICORPOS ANTI-RICKETTSIA SPP. EM EQÜINOS NO ESTADO DE MATO GROSSO

Orientador: RICHARD DE CAMPOS PACHECO

Autor(es):

RICARDO PEREIRA LAUB


MARCUS VINICIUS DE AMORIM

ANDRÉ LUÍS SANTOS DE FREITAS



Resumo:Riquetsioses são doenças causadas por bactérias do gênero Rickettsia, família Rickettsiaceae, na qual está classificado o gênero Rickettsia. No Grupo da Febre Maculosa (GFM), existem mais de 20 espécies descritas, sendo que pelo menos 16 causam infecção nos humanos. Entre as espécies patogênicas para humanos, somente Rickettsia rickettsii, Rickettsia parkeri e Rickettsia felis foram descritas no Brasil. Além disso, a Rickettsia amblyommii, Rickettsia rhipicephali e Rickettsia bellii foram detectadas e/ou isoladas em carrapatos no país, sendo consideradas de patogenicidade desconhecida para humanos e animais. A R. rickettsii é incriminada como o agente da Febre Maculosa Brasileira (FMB), que é uma doença de caráter endêmico e a mais importante riquetsiose descrita no Brasil, sendo que casos da doença têm sido confirmados nos quatro estados da região Sudeste do país. O Amblyomma cajennense é o carrapato vetor mais comumente associado com a transmissão, sendo que os eqüinos assumem importante papel de sentinela da doença, pois são considerados hospedeiros primários para o carrapato. Em áreas endêmicas para FMB estes animais apresentam-se com altos títulos de anticorpos contra a Rickettsia spp., associados principalmente a infecção por R. rickettsii, possivelmente correlacionados ao alto parasitismo pelo carrapato vetor. O estudo avaliou a presença de anticorpos em amostras de soro de equinos a partir de antígenos brutos de R. rickettsii, R. parkeri, R. amblyommii, R. rhipicephali e R. bellii através da pesquisa de anticorpos pela Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI), buscando verificar a circulação de riquétsias no Estado. Com base no mapa das unidades de atendimento do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (INDEA-MT), foram avaliadas 401 amostras de soro, calculadas de acordo com a população equina das 12 regionais do INDEA-MT. No total, 238 (59,3%) amostras foram positivas (títulos = 64) para pelo menos um antígeno testado, com títulos variando de 64 a 2048. Quando um título obtido para uma determinada espécie de Rickettsia foi pelo menos quatro vezes maior do que o título mais alto obtido para as demais espécies, pode-se sugerir que os anticorpos foram homólogos à primeira espécie, sendo considerado o provável antígeno responsável pela infecção (PARI). Sob este critério, determinou-se como PARI nas amostras examinadas: R. amblyommii (104 equinos), R. bellii (13 equinos), R. rickettsii (6 equinos) e R. rhipicephali (5 equinos). Paras as demais amostras não foi possível determinar o PARI. Os resultados mostraram uma alto percentual (59,3%) de animais sororreagentes (títulos = 64) à Rickettsia spp., como também, a possível circulação de R. amblyommii, R. rhipicephali, R. bellii e, principalmente da R. rickettsii, de importância zoonótica, apresentado alta letalidade aos seres humanos. A comprovação da circulação de R. amblyommii já havia sido confirmada no município de Poconé-MT infectando cães, no entanto, observou-se a partir desse estudo, uma ampla distribuição dessa bactéria por todo Estado. A R. amblyommii tem sido detectado em carrapatos do continente americano e sorologicamente associado a possíveis casos mais brandos de riquetisoses nos EUA. Para R. rhipicephali e R. bellii há a necessidade de comprovação da patogenicidade para humanos animais.

Palavras-chave: Rickettsia spp, Mato Grosso, Amblyomma cajennense, Imunofluorescência indireta, Anticorpos

Título: DETECÇÃO E PREVALÊNCIA MOLECULAR DE ANAPLASMA SPP. EM CÃES DA REGIÃO DO PANTANAL MATO-GROSSENSE.

Orientador: DANIEL MOURA DE AGUIAR

Autor(es):



Поделитесь с Вашими друзьями:
1   ...   84   85   86   87   88   89   90   91   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2019
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə