Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə9/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   201

POLLYANA IRIS LIMA DE SOUSA


Resumo: O personagem principal desse trabalho, e uma das figuras chaves da política eclesiástica do século XII, é Bernardo, abade de Claraval. Nascido em 1090, chegou à floresta de Borgonha, onde estava instalada a abadia de Cister, em 1112, acompanhado de um grupo de 29 pessoas. No ano de sua chegada à abadia, que já existia há 14 anos, Cister inicia sua expansão fundando, assim, sua primeira filial: La Ferté. Em 1115 Estevão Harding, atual abade de Cister, toma a decisão de enviar Bernardo, que tinha apenas três anos no mosteiro, à Champanha para ali fundar e ser abade de Claraval, a terceira filial de Cister e considerada sua principal casa. Bernardo, assim, se faz presente no processo de expansão da Ordem Cisterciense e após três anos de existência, Claraval funda sua primeira filial: Trois Fointaines; e no próximo ano a segunda filial: Fontaney. Cister começou como uma abadia pequena e pobre, mas obteve durante todo o século XII uma forte expansão, chegando a mais de 500 casas fundadas no final do século, sendo possível ver a participação e atuação de Bernardo, colaborando para esse crescimento e desempenhando um papel institucional no monaquismo. O surgimento de Cister veio de uma inquietação por um monaquismo reformado que seguisse com real rigor a Regra de São Bento e imitasse a vida evangélica de Cristo e, diante de modelos monásticos divergentes ao cisterciense – direcionado por três pontos: pobreza, eremitismo e vida apostólica-, como o caso do modelo cluniacense - considerado por Bernardo afastado da regra beneditina em muitos de seus aspectos: indumentárias, refeições, luxo e suntuosidade da sua igreja – o abade de Claraval se vê pressionado a envolver-se inteiramente em tais assuntos, demonstrando sua oposição. Mesmo defendendo um estilo de vida contemplativo, realizado no claustro, Bernardo se encontra amplamente envolvido em assuntos da Igreja, implicando em relações de poder que estavam além do seu controle. Sua presença em diversos assuntos de caráter político era em muitos casos solicitada, sendo convocado para resolver conflitos no seio dos mosteiros e da Igreja, exercendo forte influência em eleições episcopais e se fazendo presente em assuntos nacionais e internacionais, por fazer parte desse processo reformador. Não deixa, ao ver maus atos dos religiosos e constatar tamanha injustiça no seio da própria Cúria, de manifestar sua desaprovação. Porém, não deixa também de agir em favor desta mesma Cúria. Para compreender a vida do abade de Claraval, muitas vezes descrita e entendida como contraditória, trabalha-se com o seu epistolário. Analise essa bastante interessante já que a escrita das cartas, que teve seu florescimento no século XI e XII, vem com resposta a uma necessidade política e administrativa que surgia, vindo sem força legal e criando autossuficiência. Seus escritores, possuindo o saber de escrever cartas convincentes, além de um conhecimento do mundo e da sociedade, foram indispensáveis para a conduta do governo e seus interesses intelectuais serviram para sustentar a conduta dos assuntos práticos.

Palavras-chave: Idade Média, Política Eclesiástica, Bernardo de Claraval

Título: A POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS E A DIMENSÃO SOCIOAMBIENTAL DO ESTADO DE DIREITO.

Orientador: PATRYCK DE ARAÚJO AYALA

Autor(es):

RAQUEL BUFULIN DE ALMEIDA


de progressividade, reparação da poluição na fonte.

Resumo: Em uma sociedade que se encontra exposta a um conjunto cada vez mais complexo de riscos, atingir melhores níveis de qualidade de vida é uma questão que exige a transformação dos comportamentos e dos processos produtivos com o intuito de proporcionar um Estado Socioambiental de Direito. O cenário descrito revela a importância que a obrigação de minimizar os efeitos negativos gerados pelos resíduos sólidos assume na condição de instrumento para se atingir aquele objetivo, ao mesmo tempo em que favorece o destaque para um compromisso jurídico, social, econômico e cultural, com a sustentabilidade. A pesquisa busca elementos que propiciem identificar um regime jurídico próprio de responsabilização dos poluidores que enfatize princípios, instrumentos e institutos compatíveis com a mitigação daqueles efeitos, no âmbito da lei de política nacional dos resíduos sólidos, com ênfase para a reparação da poluição na fonte. Para tanto, fez-se o uso de pesquisa bibliográfica por meio de doutrina nacional e internacional especializada no assunto. Pretende-se debater primeiramente um conceito de sustentabilidade forte e fraca, para se entender e enquadrar a problemática dos resíduos sólidos. Em seguida, propõe-se que a gestão do resíduos precisa favorecer instrumentos e abordagens diversas daquelas geralmente em curso neste momento, como reciclagem, sendo necessário que seja estimulada a transformação dos processos produtivos e seja estimulada, por técnicas jurídicas e econômicas, a transformação dos comportamentos sociais para diminuir consequentemente a fabricação de produtos, o consumo e os resíduos. Tendo em vista o atual comportamento econômico do Estado, serão discutidas formas para minimizar o consumo e suas consequências para a sociedade, entre elas, a tributação de atividades poluentes e geradoras de resíduos. Por fim, propõe-se um novo método de responsabilização ambiental baseado na responsabilidade sem dano, ao mesmo tempo em que também é proposta uma investigação sobre como seriam as novas formas de obrigação e consequências jurídicas para o poluidor. Sendo assim, com a promulgação da nova Política Nacional dos Resíduos Sólidos e a fixação de novos imperativos (deveres) de sustentabilidade para o desenvolvimento da atividade econômica e para o processo produtivo, esta pesquisa também procura favorecer um diálogo com um princípio de progressividade na proteção do direito fundamental ao meio ambiente ao propor que, descumprir as metas e os objetivos desta política constitui comportamento incapaz de se assegurar a melhoria nos níveis de qualidade de vida, estes indispensáveis para se chegar a um Estado Socioambiental de Direito.
Palavras-chave: Política Nacional de Resíduos sólidos; responsabilidade sem dano, princípio

Título: A PRÁTICA SEXUAL E O ENVELHECIMENTO: IMPLICAÇÕES PARA A ENFERMAGEM

Orientador: RAQUEL SANTOS BRITO

Autor(es):


1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə