Universidade federal de mato grosso caderno de resumos



Yüklə 2.68 Mb.
səhifə94/201
tarix21.08.2017
ölçüsü2.68 Mb.
1   ...   90   91   92   93   94   95   96   97   ...   201

JEAN CARLO GONÇALVES ORTEGA

Resumo: Informações sobre a biologia de uma espécie são de fundamental importância para medidas de manejo que visem à conservação da biodiversidade. A dieta de Crenicichla lepidota foi avaliada para determinar sua composição e verificar se há variação sazonal, por classes de comprimento e entre os sexos. Os exemplares de C. lepidota foram coletados em julho e dezembro de 2006 e junho e novembro de 2007 em lagoas marginais e entorno da RPPN SESC-Pantanal, no rio Cuiabá. A dieta foi composta basicamente de insetos, entretanto peixes e zooplâncton também foram significantes. A alimentação variou significativamente entre os meses, classes de comprimento, mas não entre os sexos. Larvas de Diptera apresentaram as maiores pontuações relativas em todos os meses, especialmente em julho de 2006 e junho de 2007. Nos meses de dezembro de 2006 e novembro de 2007 a alimentação de C. lepidota foi mais diversificada. Itens provenientes de insetos compuseram a maior pontuação relativa para as menores classes de comprimento, enquanto que para a dieta das maiores classes de comprimento de C. lepidota peixes apresentaram maior pontuação relativa. A maior diversificação da alimentação em meses que coincidem com o período de enchente e cheia no Pantanal pode estar relacionada à maior oferta de itens alimentares gerada pelo aumento da área alagada pelo pulso de inundação. A mudança da alimentação entre classes de comprimento sugere variação ontogenética da alimentação, possivelmente esta relacionada a alterações morfológicas da espécie durante seu crescimento.

Palavras-chave: Alimentação, Pantanal Norte, Variação sazonal e ontogenética

Título: DINÂMICA DA COMUNIDADE FITOPLANCTÔNICA NO RIO ALEGRE, AMAZÔNIA MERIDIONAL, MATO GROSSO

Orientador: SIMONI MARIA LOVERDE-OLIVEIRA

Autor(es):


LILIAN CRISTINA FREITAS


Resumo: A fim de conhecer a estrutura e dinâmica da comunidade fitoplanctônica sob influência do Rio Alegre foram amostradas quatro estações (Porto Janú, Baía Barranco Alto, Baía Dragão e Baía Dona Maria), no município de Vila Bela de Santíssima Trindade (MT). Realizaram-se quatro coletas em dois períodos: I - cheia (02/02 e 08/03) e II - vazante (02/06 e 30/06). As amostras qualitativas foram coletadas com rede (25 µm) e as quantitativas manualmente pela passagem de frascos na subsuperfície, todas preservadas com Lugol Acético 40%. Para análise do fitoplâncton (n=48), utilizou-se o método de sedimentação e contagem em microscópio invertido. A comunidade fitoplanctônica esteve composta de 152 taxa, distribuídos em nove classes taxonômicas: Zygnemaphyceae (40% dos táxons), Chlorophyceae (20%), Cyanobacteria (15%), Euglenophyceae (10%), Bacillariophyceae (10%), Chrysophyceae (2%), Cryptophyceae (1%), Chlamidydophyceae (1%) e Oedogoniophyceae (1%). O rio Alegre teve abundância fitoplanctônica variando de 39-1417 ind.mL-1, riqueza de 4-20 taxa/amostra e diversidade de 0,2-0,96 bits.ind-1. A riqueza foi definida por Zygnemaphyceae, Cyanobacteria, Euglenophyceae e Chlorophyceae durante o período I (cheia), dessemelhante ao período II (vazante), em que Cyanobacterias foram substituídas em termos de número de táxons por Bacillariophyceae. A variação sazonal das espécies fitoplanctônicas caracterizou o rio Alegre pela menor diversidade média (0,55 bits.ind-1) no período I e a maior no período II (0,70 bits.ind-1). A riqueza foi idêntica nos dois períodos (média= 10 taxa/amostra) e os valores médios de abundância mínimo (212 ind.mL-1) e máximo (304 ind.mL-1) foram registrados durante a cheia. As classes Cyanobacteria, Cryptophyceae e Chlorophyceae foram as que mais contribuíram para a abundância fitoplanctônica, sendo que as Cyanobacteria (Pseudoanabaena sp.) dominaram durante a cheia e as Cryptophyceae (Cryptomonas sp.) durante a vazante, acompanhadas em menores proporções por Chlorophyceae em ambos os períodos. Quando comparadas as estações de coleta verificou-se que a maior abundância (772 ind.mL-1) e riqueza (17 taxa/amostra) ocorreram na Baía Dragão, já a menor abundância (113 ind.mL-1) foi obtida no Porto Janú e a menor riqueza na Baía Barranco Alto (6 taxa/amostra). Por conseguinte, os valores de riqueza e diversidade específica apresentaram padrão relacionado à variação do nível d´água do rio Alegre com valores mais elevados durante a vazante. A abundância teve maior amplitude de oscilação espacial e temporal, uma vez que no Porto Janú e Baía Barranco Alto esse parâmetro foi similar em ambos os períodos; na Baía Dragão foi mais abundante na cheia e na Baía Dona Maria o fitoplâncton teve maior concentração na vazante. A composição taxonômica foi representada por classes e táxons comuns aos ambientes e períodos amostrais confirmando o caráter cosmopolita das espécies fitoplanctônicas.

Palavras-chave: Fitoplâncton, rio Alegre, Amazônia Meridional, Lagos rasos

Título: DINÂMICA POPULACIONAL DE DUAS ESPÉCIES DE CYRTOBAGOUS HUSTACHE, 1929 (COLEOPTERA: CURCULIONIDAE: STENOPELMINI) ASSOCIADAS ÀS SALVINIA SPP. (SALVINIACEAE) DISTRIBUÍDAS EM BAÍAS MARGINAIS AO RIO CUIABÁ, PANTANAL DE BARÃO DE MELGAÇO-MT.

Orientador: WESLEY OLIVEIRA DE SOUSA



Autor(es):

NELSON VINICIUS SABINO SERRA



Resumo: As dinâmicas populacionais de adultos e larvas de Cyrtobagous salviniae Calder & Sands, 1985 e Cyrtobagous singularis Hustache, 1929 (Coleoptera, Curculionidae) foram estudadas em baías marginais ao rio Cuiabá, Pantanal de Barão de Melgaço – MT, com os objetivos de (I) descrever as abundâncias de adultos e larvas ao longo de um ciclo hidrológico, (II) identificando padrões de distribuição espacial, (III) testar se as abundâncias de adultos e larvas estão correlacionadas com a abundância de Salvinia spp., (IV) com a periodicidade hídrica, quantificada por meio da variação do nível da água do rio Cuiabá, profundidade, temperatura e condutividade da água, (V) verificar se a abundância de adultos e larvas difere entre as fases hídricas do Pantanal mato-grossense, (VI) bem como entre baías permanente e temporariamente conectadas ao rio Cuiabá. As coletas ocorreram durante a seca, cheia, enchente e vazante de 2009, em dez baías marginais, sendo cinco permanentemente conectadas e cinco conectadas apenas durante a fase de água alta. A amostragem das Salvinia spp. foi realizada em três transectos perpendiculares à margem, delimitados a partir da região litorânea com substrato saturado até a área com profundidade máxima de 3 a 5 metros. As variáveis limnológicas amostradas em cada baía corresponderam às medidas de profundidade, temperatura da água, condutividade elétrica e nível da água do rio Cuiabá. Foram amostrados 1.790 indivíduos de Cyrtobagous, a maioria imaturos, distribuídos entre C. salviniae (90,21%) e C. singularis (9,79%). Dentre os adultos, C. salviniae (69,18%) apresentou maior abundância que C. singularis (30,82). As populações de adultos e larvas diferiram significativamente dentro de cada espécie, bem como entre as duas espécies. As abundâncias de adultos e larvas de ambas as espécies não diferiram significativamente entre as dez baías estudadas, bem como em relação à conectividade. Apenas os adultos e larvas de C. salviniae variaram significativamente entre os quatro períodos hídricos, sendo as maiores abundâncias obtidas durante os períodos de cheia e enchente e de enchente e seca para adultos e larvas, respectivamente. Apesar disso os dados demonstraram que a população de adultos foi fraca e positivamente correlacionada, enquanto que a de larvas foi fraca e negativamente correlacionada com a variação nível da água do rio Cuiabá. As populações de adultos e larvas de C. salviniae e C. singularis foram fraca e negativamente correlacionadas com a condutividade e frequência relativa de Salvinia spp., e fraca e positivamente correlacionadas com a temperatura e profundidade. A variação da abundância por fase de desenvolvimento, ao longo do ciclo hidrológico estudado, pode ser explicada por vários fatores, sendo o regime hídrico o principal, pois tem efeito direto na qualidade da água e na nutrição das plantas, afetando indiretamente a abundância de curculionídeos. As abundâncias de adultos e larvas diferiram intraespecificamente em função da densidade dependente, que é um fator limitante do crescimento populacional, enquanto que interespecificamente diferem por competição, visto que indivíduos de C. salviniae, por apresentarem maior abundância, demonstraram ser mais competitivos do que os de C. singularis.

Palavras-chave: Coleoptera; curculionídeos aquáticos; ecologia de populações; macrófitas aquáticas.

Título: DINÂMICAS SÓCIOESPACIAIS EM ÁREAS DE CERRADO ESTUDO DE CASO: ARAGARÇAS-GO, BARRA DO GARÇAS E PONTAL DO ARAGUAIA-MT

Orientador: SANDRO CRISTIANO DE MELO

Autor(es):

1   ...   90   91   92   93   94   95   96   97   ...   201


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©azkurs.org 2016
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə